Diário Carioca Google News

Treinador comportamental e mentor de vida e negócios, Marcelo Bianchini considera que a força mental é a base para enfrentar as adversidades, inclusive a atual crise

No último ano a palavra de ordem foi adaptação. As restrições impostas pela pandemia obrigaram a população a se reinventar em todos os sentidos: profissional e pessoal. O treinador comportamental e mentor, Marcelo Bianchini, diretor-fundador do Instituto Bianchini, especializado em mentorias e que desenvolve treinamentos, explica que resiliência é a palavra-chave. “Em um dos treinamentos que dou, explico que devemos saber nos adaptar a todos os cenários, que não adianta nos focarmos no externo, nós é que devemos aprender a responder às adversidades”, afirma. Em suma, agir diferente para ter resultados diferentes. Um de seus treinamentos se chama “Atitude de Tigre”, a alusão ao felino se baseia no fato de que a espécie vive em diversos ambientes, da selva à neve, e em todos eles é um animal forte, portanto, é um exemplo de adaptação.

Marcelo afirma que nunca foi tão necessário procurar ajuda profissional, visto que nem sempre é possível enxergar as soluções dos problemas quando se está envolvido. “O olhar de fora é fundamental e não pode ser ignorado, eu consigo enxergar os erros e acertos dos meus mentorados e alunos, assim é possível apontar soluções que eles não conseguiriam ver por estarem desesperados”, afirma. Entretanto, ele explica que isso significa sair da zona de conforto, o que nem sempre é fácil. “Muitos preferem culpar o governo, o chefe, a família, ou seja, culpam os outros e não reconhecem que eles mesmos têm responsabilidades e precisam agir e serem protagonistas de suas vidas”. Bianchini recomenda que todos façam algum tipo de acompanhamento emocional ou programa de mentoria, mesmo aqueles mais resistentes. “O momento é de grande instabilidade e devemos nos manter fortes para prevenir quedas diante dos possíveis golpes”. Para quem não puder neste momento pagar por um acompanhamento, a dica é refletir sobre suas atitudes e buscar histórias inspiradoras. “Li diversas biografias de pessoas de sucesso, isso me ajudou a me inspirar, pois vi pessoas que venceram dificuldades iguais ou maiores que as minhas e isso me fortaleceu”, recomenda Bianchini

Intagram: @marcelobianchinioficial

YouTube: Marcelo Bianchini

Site: marcelobianchini.com.br

Newsletter

Mais Noticias

Lo que no dicen de Cuba

No empezó con Biden, hay que decir. Desde el 2017 vienen martillando la falacia de un estallido social en Cuba con su solución mágica, la “intervención humanitaria”

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *