19.7 C
Rio de Janeiro
- Publicidade -
- Publicidade -

Aprenda a interpretar seu mapa astral

- Publicidade - Diário Carioca Google News

Com o avanço da tecnologia e a popularização da astrologia, diversas pessoas conseguem fazer seu mapa astral grátis com apenas alguns cliques. Porém, conferir o desenho e as posições principais não garante entendimento profundo sobre o tema. 

A leitura de um mapa astral, feita por um profissional, analisa pontos específicos – buscando entender como determinados posicionamentos podem afetar a vida de alguém e como diferentes conjunturas atuam em conjunto sobre a pessoa. 

Existem alguns elementos básicos que não podem passar despercebidos na hora de analisar o mapa. Apesar de não substituir uma leitura profissional, é possível compreender alguns aspectos e se beneficiar das indicações dos astros na rotina.

Para isso, vale se atentar às casas, aos planetas e aos elementos dos signos.

Casas

As casas são unidades básicas do mapa astral. Todos os mapas possuem 12 casas e cada uma delas fala sobre algum aspecto da vida e carrega um signo do zodíaco. Para compreender seu funcionamento, é preciso analisar em qual casa cada signo se encontra e verificar se há algum planeta inserido na posição. 

Enquanto cada casa corresponde a um único signo, é possível, por exemplo, que a casa 3 tenha vários planetas, enquanto a 6 não possua nenhum astro em sua localização. Em alguns casos, vale buscar saber o planeta regente do signo naquela casa.

A complexidade da leitura do mapa astral reside, portanto, na ampla possibilidade de combinações entre casas, signos e planetas. Enquanto cada casa trata de um aspecto da vida, o posicionamento de cada signo dá a qualidade daquele aspecto, que pode ser potencializado conforme a regência de um ou mais astros.

Casa 1 (Ascendente): trata da personalidade exterior e dos traços que são rapidamente mostrados ao mundo. Pode ser responsável pela primeira impressão que a pessoa passa.

Casa 2: aborda a forma de lidar com dinheiro e bens materiais. Como a pessoa irá ganhar seu sustento, como irá organizar suas finanças e como irá gastar seu dinheiro. 

Casa 3: fala sobre a educação básica. Ou seja, como a pessoa costuma aprender e qual a sua forma de ensinar aos próximos. Também fala de relacionamentos com familiares próximos – como irmãos, primos e tios. 

Casa 4 (Fundo-do-céu): aborda o passado. Memórias da infância, traumas antigos e relacionamentos com a família. Tende a ser um posicionamento com foco na relação com os pais, já que se fala de origem e de lar. 

Casa 5: está relacionada à criação. Pode apontar desde preferências por hobbies e formas de expressar a criatividade, indo até a temas mais concretos, como filhos. Caso a pessoa tenha ou planeje ter filhos, é possível perceber tendências de sua relação.

Casa 6: aponta características da rotina, além de falar sobre preferências na vida profissional. Também aborda cuidados com a saúde e indica problemas específicos que a pessoa pode desenvolver.

Casa 7 (Descendente): trata de relacionamentos profundos. Pode mostrar características que são valorizadas em um parceiro e formas como alguém vê o outro. O signo descendente é o oposto complementar do ascendente. 

Casa 8: aborda diferentes tipos de transformações. Indica a forma como a pessoa encara finais de ciclos e aponta possíveis aprendizados que grandes mudanças podem trazer. 

Casa 9: conhecimentos profundos, filosofia de vida e escolhas de faculdade, estudos e formas de expansão – inclusive viagens – são os principais temas da casa 9. 

Casa 10 (Meio-do-céu): se o fundo-do-céu fala sobre passado, o meio-do-céu se foca no futuro. São analisados objetivos de vida, êxito profissional e pessoal, o que cada um planeja alcançar. 

Casa 11: a intelectualidade é o aspecto central da casa 11. Fala também sobre círculos de amigos, clubes e grupos que podem atrair alguém.

Casa 12: casa da espiritualidade e do inconsciente. Mostra formas de se conectar com o interior e possíveis jornadas espirituais.

Planetas e astros

Durante uma leitura de mapa astral, é preciso entender o significado dos planetas. Cada um fala sobre determinada qualidade ou aspecto e, em conjunto, forma a personalidade de alguém, incluindo traços do inconsciente que nem sempre são reconhecidos.

A casa em que o planeta se encontra aponta em qual área da vida essa influência será notada. De acordo com o signo da casa, é possível perceber também a abordagem e a forma com que essa expressão se dá.

Sol: astro central do mapa. Ajuda a definir a essência e a personalidade básica de alguém.

Lua: satélite que trata do emocional, dos sentimentos, das origens de necessidades sentimentais. Também fala sobre intuição. 

Mercúrio: planeta da comunicação e do intelecto. Aponta o possível padrão de pensamento e a forma como a pessoa se expressa ao mundo.

Vênus: fala sobre sentimentos, relações, afeto e amor. Pode incluir também interpretações da vida sexual e questões estéticas.

Marte: associado à guerra, aponta como o indivíduo se impõe e mostra sua assertividade. Está relacionado às brigas, ao sexo e à energia vital.

Júpiter: planeta da expansão, demonstra formas de se expor ao desconhecido, adquirir conhecimentos e expandir horizontes.

Saturno: fala de limites e regras. O que dá medo e quais são as dificuldades de determinada pessoa.

Urano: planeta da mudança e da revolução. Está associado à rebeldia e ao novo. Assim como Netuno e Plutão, é um planeta transpessoal, o que significa que pessoas da mesma geração irão apresentar posicionamentos semelhantes.

Netuno: conexão com o espiritual, no que a pessoa baseia sua fé e como expressa suas crenças ao mundo. 

Plutão: transformação e regeneração são termos-chave. Aponta o que precisa ser alterado e formas de se alcançar essa mudança.

Elementos dos signos

Os 12 signos são divididos em quatro elementos, que falam sobre sua energia e força vital. São eles, fogo, terra, água e ar.

O ideal é que o mapa astral possua uma quantidade equilibrada de cada um, mas nem sempre é o caso. Por isso, durante a leitura, o profissional aponta técnicas e formas de lidar com excesso ou falta de determinado elemento no mapa. 

Fogo: Áries, Leão e Sagitário. Falam de criação e de renovação. Os signos deste elemento possuem características como impulsividade, podem ser temperamentais e tendem à assertividade. 

Terra: Touro, Virgem e Capricórnio. Priorizam a ordem, a estabilidade e o controle. Valorizam a matéria e o concreto. Podem ser rígidos, persistentes e racionais. 

Ar: Gêmeos, Libra e Aquário. Valorizam a comunicação e o coletivo. Tendem à instabilidade, porém conseguem se adaptar a diversos contextos. O ar costuma estar associado a princípios idealistas.


Água: Câncer, Escorpião e Peixes. Esses signos contam com a emoção à flor da pele, são profundos e sensíveis. Tendem a posições extremas e valorizam relações densas

MG: Iepha divulga pontuação provisória do ICMS Patrimônio Cultural

A tabela de pontuação provisória do programa ICMS Patrimônio Cultural, do exercício 2020, já está disponível...

Ministro da Saúde anuncia que 1,5 milhão de doses da Janssen chegam amanhã (22) no Brasil

Durante a audiência pública da Comissão Temporária da Covid - 19, no Senado, nesta segunda-feira (19,...

Horóscopo de terça-feira 22 de junho de 2021

Confira a previsão do horóscopo do dia 22 de junho de 2021 e fique por dentro de tudo o que o seu signo lhe reserva para o amor, dinheiro e saúde.

Meirelles e Caio Afiune trollam ex-BBBs e Viih Tube desmascara brincadeira: “É lisa demais”

Caio Afiune participa do ‘Foi Mau’ desta segunda-feira (21) e tira onda ao lado do apresentador Maurício Meirelles. O goiano conta que Juliette ainda...

The Strokes compartilham trecho da nova música 'Starting Again' no anúncio de Maya Wiley

The Strokes apresentou uma prévia de uma nova música chamada 'Starting Again' em um comercial para a candidata a prefeito de...