- Publicidade -

Brasil ganha portal para discutir os 200 anos de independência

- Publicidade -

A Independência do Brasil completará 200 anos em 2022 e, para marcar a data, professores, pesquisadores, movimentos sociais e entidades apresentaram o projeto “Portal do Bicentenário”. O lançamento será nos próximos dias 6 e 7 de setembro.

O portal trará de forma gratuita os mais variados conteúdos voltados à educação básica para discutir a independência do país para além dos livros escolares. Haverá sequências didáticas, relatos de práticas, espaço para material acadêmico, dissertações, livros e vídeos. 

- Advertisement -

2022 é oportunidade para parir outro país

A ideia é ser um “hub” onde possam ser encontrados temas e abordagens que, antes, não estavam sendo pensados. O objetivo é propor um pensamento crítico sobre o período em que o país deixou de ser colônia portuguesa, incluindo os diversos movimentos locais que levaram à construção da nação ao longo de duzentos anos. E, para além disso, instigar o debate sobre o país que vamos construir para o futuro. 

Segundo os pesquisadores que integram a iniciativa em rede, o debate já se faz necessário porque vivemos uma época de retrocesso de direitos adquiridos e pouco se fala sobre o que queremos preservar, e qual nação pretendemos ser. 

“A gente está vivendo um forte retrocesso de direitos. Isso nos remete à responsabilidade de iniciar já um debate que possa ocorrer de forma aprofundada, e não só em 2022, em meio aos debates eleitorais, quando haverá um caldo tenso e intenso em meio à possibilidade de parir outro país ou, minimamente recuperar parte do que perdemos”, afirma Luciano Mendes, coordenador do projeto Pensar a Educação, Pensar o Brasil, e um dos integrantes da equipe do Portal do Bicentenário.

Mesas de debates sobre história, cultura e sociedade

O Portal do Bicentenário entrará no ar a partir do dia 6 de setembro, às 22h. Nesta data, haverá uma “virada” de 26 horas de lives e debates, que terminam no dia 7, sobre os 200 anos da Independência do país.

A mesa de abertura falará sobre os diversos Brasis e as “trilhas” percorridas até a Independência. Depois, haverá a apresentação da temporada sobre o bicentenário no podcast “No recreio”, seguida de uma madrugada de conversas sobre cinema, literatura, mulheres e indígenas nas artes. 

Outros temas em debate serão a escola após a independência até o homeschooling; a elitização do ensino secundário; a descolonização do ensino de matemática a partir de teóricos africanos; a educação no campo; a liberdade de uso e acesso às mídias digitais; além da proposta de construir novos olhares sobre a independência do Brasil no ensino de história.

Conteúdos já disponíveis

Enquanto a data do lançamento não chega, já é possível acompanhar os conteúdos publicados nos canais e redes sociais do projeto, como no Youtube, Instagram, Facebook e Twitter.

No YouTube, as lives com pesquisadores já abordaram temas como “A Independência do Brasil nos livros didáticos”, “A história das mulheres nos 200 anos de independência”, “A revolução no Haiti e as repercussões no Brasil”, “Branquitude e educação para as relações étnico-raciais”, “Ensino de história indígena”, “A importância da história local nas narrativas das independências”, “A Independência do Brasil e as Revoluções Atlânticas”, e “Ensinar história: diálogos com a literatura, os livros didáticos e o mundo digital”, entre outros.

Vivemos retrocesso de direitos

Também no YouTube é possível assistir à série “Educação e Nação no Bicentenário da Independência”, uma formação voltada a professores que já conta com 14 aulas. Entre elas, surgiram temas como as heranças coloniais, a educação de jovens e adultos nestes duzentos anos, a relação da educação e a imprensa, formação de professores, movimentos sociais e educação no campo, entre outros.

Com estes conteúdos, já é possível que professores proponham reflexões nas aulas para aprofundar o conteúdo sobre Independência, presente nos vestibulares e no Enem.

Sobre o Portal do Bicentenário

O Portal do Bicentenário é uma iniciativa em rede que tem como marcas a inter e a transdisciplinaridade de conteúdos e ações que promovam o diálogo entre saberes e práticas de professores e professoras; de estudantes da educação básica e do ensino superior; de povos tradicionais e de movimentos sociais, além de coletivos democráticos de todo o Brasil. 

A ação é uma parceria com 61 entidades e grupos de pesquisa, centros e núcleos de pesquisa, projetos de extensão e de ensino, além de envolver relação direta com inúmeras redes de ensino pelo país, como também sindicatos e movimentos sociais. Nesta parceria, temos o apoio e a integração de instituições e sociedades científicas e sociais, universidades federais e estaduais, programas de pós-graduação e departamentos de graduação. Somos muitos, múltiplos e desejamos ser ainda mais coletivos.

Fonte: BdF Minas Gerais

Edição: Elis Almeida


- Publicidade -
- Publicidade -

Falando Nisso...

Porno Gratuit Porno Français Adulte XXX Brazzers Porn College Girls Film érotique Hard Porn Inceste Famille Porno Japonais Asiatique Jeunes Filles Porno Latin Brown Femmes Porn Mobile Porn Russe Porn Stars Porno Arabe Turc Porno caché Porno de qualité HD Porno Gratuit Porno Mature de Milf Porno Noir Regarder Porn Relations Lesbiennes Secrétaire de Bureau Porn Sexe en Groupe Sexe Gay Sexe Oral Vidéo Amateur Vidéo Anal