25.5 C
Los Angeles
sexta-feira, outubro 7, 2022

Hilton Copacabana terá programação especial em outubro

Com o letreiro na cor rosa, em alusão à campanha de conscientização sobre o câncer de mama, o Hilton Rio de Janeiro Copacabana terá boas opções de gastronomia e entretenimento durante o mês de outubro. 

Michael Rodrigues e Daniella Rosas chegam as quartas de final do EDP Vissla Pro Ericeira

O brasileiro Michael Rodrigues e a peruana Daniella Rosas, já estão nas quartas de final do EDP Vissla Pro Ericeira em Portugal

Horóscopo do dia 07 de outubro de 2022

Horóscopo do dia 08 de outubro de 2022. Fique por dentro de tudo o que o seu signo lhe reserva para o amor, dinheiro e saúde.
InícioBrasilLula critica Bolsonaro em sanção da renda mínima: "Pros banqueiros chegou rapidinho"

Lula critica Bolsonaro em sanção da renda mínima: “Pros banqueiros chegou rapidinho”

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva endureceu o seu discurso contra o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) e a atuação do governo no combate à pandemia causada pelo novo coronavírus e de soluções para a crise que se agrava, em uma entrevista coletiva realizada nesta quarta-feira (1).

A implementação de uma renda mínima emergencial para socorrer os trabalhadores mais vulneráveis foi um dos pontos destacados pelo ex-presidente.  “O dinheiro não chega. O único dinheiro que chegou rapidinho foi o dinheiro para ajudar os banqueiros brasileiros. Esse é o dilema. Você tem um governo que não quer assumir como governo”, afirmou Lula.

Na noite da última segunda-feira (30), o plenário do Senado aprovou a proposta de criação de uma renda mínima emergencial diante do agravamento da crise econômica por conta do avanço do coronavírus no país. Para começar a valer, a medida precisa ser sancionada pelo presidente em um prazo de 15 dias. 

Segundo o ministro da Secretaria-Geral da Presidência, Jorge Oliveira, em publicação em rede social, a medida foi sancionada, contudo, até as 19: 30 desta quarta-feira (1), não havia sido publicada no Diário Oficial da União (DOU).

::Enquanto Bolsonaro atrasa sanção de auxílio, Guedes tenta chantagear Congresso::

Em um prazo otimista dado pelo governo, a renda deve começar a ser distribuída na segunda semana de abril, cerca de um mês depois do início do isolamento. “Até agora não saiu um centavo para ninguém. Para os banqueiros, R$ 200 bilhões”, afirmou Lula.

Diante desse cenário, Lula recomendou que a Câmara dos Deputados constitua comissões para fiscalizar a liberação desse dinheiro e que, ao lado do Senado Federal, tenha maior protagonismo no combate à crise do coronavírus. 

O único dinheiro que chegou rapidinho foi o dinheiro para ajudar os banqueiros brasileiros. Esse é o dilema. Você tem um governo que não quer assumir como governo.

Medidas para evitar a propagação

Lula afirmou que o isolamento social é a melhor maneira de evitar a transmissão da covid-19. Durante a crise, o atual presidente vem defendendo que a melhor forma, no entanto, é o isolamento vertical, que prevê o isolamento somente das pessoas que estão no grupo de risco. 

“Está difícil ver que essa crise vai passar com essas incertezas. A primeira coisa é convencer que o isolamento é a melhor forma de evitar a transmissão do vírus, mas Bolsonaro ainda duvida e continua passando dúvida para a sociedade”, afirmou o ex-presidente.

::Coronavírus: o que pode acontecer aos brasileiros sem o isolamento social?::

“Tem gente que consegue ficar dois meses sem salário, tem gente que consegue ficar um mês, mas tem gente que não consegue ficar 15 dias. E já estamos há mais de 15 dias. De um lado, a prioridade do isolamento; do outro, a de liberar recursos para que as pessoas possam continuar a ter o que comer”, destacou Lula, para quem o presidente Bolsonaro tem se mostrado incapaz de realizar as duas tarefas. 

“Até agora nós temos problema de máscara no Brasil, o problema mais elementar que é fazer testagem. Nem isso nós fizemos, isso é o elementar. Estão enterrando gente sem saber se é de coronavírus. Então a primeira coisa é organizar as pessoas, aportar o montante para a saúde, para cobrir as despesas dos trabalhadores e liberar esse dinheiro para começar a fluir. Nada disso foi feito.”

Para Lula, os panelaços diários desde que se iniciou a crise causada pela pandemia mostram que a sociedade está insatisfeita com a atuação de Bolsonaro. Questionado sobre um possível impeachment, Lula afirmou que é necessário provar legalmente que existe crime de responsabilidade, para não acontecer “o mesmo que foi feito com a Dilma”.

::Movimentos populares se unem em defesa da vida e pedem saída de Jair Bolsonaro::

“Eu não quero ser irresponsável como eles foram com a Dilma, sem crime de responsabilidade. Mas provando que ele tem [crimes,] nós precisamos afirmar corretamente qual é o crime que ele cometeu, porque nem tudo que eu acho que é crime é crime do ponto de vista jurídico.” Lula diz estar “convencido” de que ou Bolsonaro muda sua linha de atuação ou não pode continuar governando. 

Edição: Rodrigo Chagas


Notícias recomendadas

Leia sobre outros assuntos:

Notícias mais lidas