21 C
Rio de Janeiro
sábado, novembro 21, 2020
- Publicidade -

Conselho Nacional Popular LGBTQI+ será lançado virtualmente neste domingo (28)

- Publicidade -

Para denunciar os desmontes de direitos e celebrar o orgulho de ser lésbica, gay, bissexual, travesti, transsexual, queer, intersexo (LGBTQI+), 24 entidades nacionais organizaram a Semana do Orgulho e Resistência LGBTQI+.

Desde 23 de junho, a programação, transmitida pela internet, reuniu debates políticos, atrações culturais, projeções pelo Brasil e agenda de atividades dos estados. Neste domingo (28), último de programação, será lançado o Conselho Nacional Popular LGBTI+, que seguirá promovendo debates e ações de resistência.

As atividades ocorrem durante o mês do orgulho, data que faz referência à revolta de Stonewall, ocorrida em Nova York, no dia 28 de junho de 1969, quando um grupo de pessoas LGBTQI+ resolveu enfrentar a frequente violência policial.

O lançamento do conselho está previsto para as 16h. Haverá transmissão no Facebook e na página da Liga Brasileira de Lésbicas do Paraná.

LGBTQI+ no Brasil

O Brasil é considerado campeão em crimes contra a população LGBTQI+. Nos primeiros quatro meses de 2020, a violência contra travestis e transexuais aumentou 58% em relação ao mesmo período do ano passado, segundo dados da Associação Nacional de Travestis e Transexuais (Antra).

Em 2019, o STF criminalizou a homofobia, equiparando o crime contra pessoas LGBTI+ ao racismo. Mais recentemente, o STF derrubou a restrição de doação de sangue por essa população.

Para Léo Ribas, da Liga Brasileira de Lésbicas (LBL), o lançamento do Conselho Nacional Popular LGBTI+ representa um marco histórico da união de organizações comprometidas com o enfrentamento do racismo, do fascismo, do genocídio e pela defesa radical dos direitos LGBTI+ e da democracia.

“Defendemos a visibilidade das mulheres lésbicas e bissexuais, das suas ‘corpas’ e práticas, historicamente invisibilizadas em todos os espaços. Esse conselho apresenta uma estratégia de orgulho e resistência da população LGBTI que não compactua com os ataques e desmandos do atual desgoverno do país. Com fascista não existe diálogo possível”, afirma a militante da LBL. Entre os motes do Conselho Nacional Popular LGBTI+, segundo Léo, surgem como urgentes algumas demandas: “Fora, Bolsonaro! Fora, Mourão! Fora, Damares!”.
 

Fonte: BdF Paraná

Edição: Camila Maciel e Lia Bianchini

- Publicidade -

Veja Também

- Publicidade -

Últimas Notícias

Boletim Carioca

Assine nossa Newsletter e receba as últimas notícias e ofertas de nossos parceiros em seu email

Filhos de Gugu falam sobre o pai no Domingo Espetacular

O Domingo Espetacular deste final de semana, dia 22/11, exibe uma reportagem especial em homenagem a Gugu Liberato. Esta...

MC Mirella bombardeia Jake e Mariano, surpreende na avaliação de Biel, Raissa e Stéfani e comenta sinais combinados com ex-peões

O Hora do Faro deste domingo (22/11) recebe a décima e mais recente eliminada de A Fazenda 12, MC Mirella, e dá sequência...

Case “Vivi Guedes”, como embaixadora da Fiat, leva três troféus no Effie Awards Brasil

- Ação da Fiat com a agência Leo Burnett Tailor Made e a Rede Globo foi um dos destaques da premiação

Fazendas milionárias do megatraficante Cabeça Branca vão à leilão

As terras de um dos principais traficantes da América Latina são avaliadas em mais de R$ 9 milhões
- Publicidade -