31.1 C
Rio de Janeiro
sexta-feira, novembro 27, 2020
- Publicidade -

Governo diz que preço da comida “não é caro” e “pode ​​aumentar”; rebatem

- Publicidade -

Em setembro o preço da cesta básica subiu quase 20% nacionalmente em comparação com os 12 meses anteriores e até 11% em relação a agosto em algumas capitais como Florianópolis, segundo pesquisa do Departamento Intersindical de Economia e Estatística (Dieese), divulgada em outubro.

Ao ser procurado pelo Brasil de Fato , na quarta-feira (20), para comentar a alta, o diretor do Departamento de Comercialização e Abastecimento, do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa) , Silvio Farnese, disse que a informação dos alimentos ocorridos por conta do aumento do consumo, impulsionado pelo auxílio emergencial. “A primeira coisa que foram (a população) fazer foi gastar com a alimentação.” Segundo ele, “comida no Brasil ainda não é cara”, apesar de a cesta básica já custar meio salário mínimo.

Ao contrário, Farnese disse que ela pode aumentar ainda mais.

Para comentar as declarações do diretor do Ministério da Agricultura, o Brasil de Fato conversou com dois ex-presidentes do Conselho Nacional de Segurança Alimentar e Nutricional ( Consea , extinto pelo governo de Jair Bolsonaro), Elisabetta Recine e Renato Maluf . Confira :

Assista : Alta dos alimentos atinge a população desempregada: “Não tenho condições de comprar”

Quais os impactos da alta do preço das alimentos?

Farnese (Mapa): Comida no Brasil ainda não é cara. Apesar desse momento todo, isso é um pico fora da curva. Depende do nível de produção. Se cair, você vai pagar o saco de arroz a R $ 30. Nós queremos fazer uma estrutura produtiva para que não haja problema de abastecimento.

Recine: Quanto menor o orçamento da família, proporcionalmente, se destina mais recursos para a alimentação. As famílias tentam maximizar ao máximo os recursos. Mas existe um limite, caso contrário entra em um estado de privação total.

Maluf: O arroz e feijão têm um peso maior (na alimentação), então a perversa combinação que nós temos hoje é fome elevada e famílias dependem muito (desse) consumo em um contexto de aumento de preços.

Essas famílias têm a composição da sua alimentação reduzida. O arroz e feijão têm um peso maior (Maluf)

:: Fome mundial pode dobrar por conta da pandemia do novo coronavírus, diz ONU ::

O que motivou alta dos alimentos?

Farnese (Mapa): Uma corrida para estocagem (com uma pandemia). Esse auxílio (emergencial, boletim em parcelas mensais de R $ 24, ) trouxe várias pessoas que tinha dificuldade com a receita, ea primeira coisa que elas foram fazer foi gastar com a alimentação.

Recine: As pessoas, no início da pandemia, fez estoque no nível de varejo e imediato, não foi algo que se prolongou.

Maluf: O processo de comprometimento da oferta de arroz e feijão vem de algum tempo. Tem a ver com a substituição de áreas de cultivo por soja e aumento dos preços internacionais de produtos. Com a redução da área plantada (…) isso é um prato cheio para a informação.

Se qualquer oscilação faz com que a gente tenha uma alta nos preços, isso mostra que o Brasil não tem capacidade de preços regulares, porque não tem estoques regulares (Recine)

:: Política econômica é um dos fatores principais da alta no preço dos alimentos ::

Qual o papel do governo na regulagem dos preços dos alimentos?

Farnese (Mapa): Para nosso olhar aqui, segurança alimentar é produção. Não tá faltando produto no mercado, pode estar com preço alto. Está garantido essa questão do abastecimento. Essa é a tônica do governo.

Recine: O Mapa (Ministério da Agricultura) Deverá ser um ator absolutamente fundamental para garantir a disponibilidade de alimentos adequados e saudáveis ​​para a população brasileira e não apenas para exportação.

Maluf: O Brasil produziu cada vez mais e a fome não desapareceu. Esse modelo de produção não é suficiente para impedir a insegurança alimentar e a fome.

O que ele deveria explicar é porque o Ministério da Agricultura não foi capaz de atuar em algo que já se sabia. Desde o início do ano, já estava previsto que haveria problemas nesta área (Maluf)

:: “O Brasil já está dentro do Mapa da Fome”, denuncia ex-presidente do Consea ::

Abastecimento interno x exportação

Farnese (Mapa): Nosso foco no ministério é fazer o crescimento da exportação e sobretudo da produtividade.

Recine: Essa é uma das raízes do por que a gente está passando fome hoje no Brasil e no mundo: a agricultura não se vê mais como uma produtora de alimentos , mas como uma produtora de itens de exportação.

Maluf: Regulação privada (do abastecimento) quer dizer isso: ” soja tá mais, eu paro de produzir, dando arroz e vou produzir soja. Ah, mas e o mercado doméstico? Dane-se “, não tem ninguém que fala nada o contrário. É inaceitável.

A agricultura não vê mais como uma produtora de alimentos, mas como uma produtora de itens de exportação (Recine)

Por que o Brasil não tem estoques públicos de alimentos?

Farnese (Mapa): “Nenhum país do mundo, fora a China, tem estoque. É uma coisa muito cara. O governo tem amarras legais imensas para poder administrar isso e não tem orçamento. Não temos legislação que permite a formação de estoque. Não formamos ”.

Recine: “ O Brasil já teve estoque. O governo e o Congresso Nacional existem justamente para definir políticas públicas e aprovar leis que sejam necessárias para que a gente tenha soberania alimentar “.

:: Estoque de alimentos está abaixo dos 14% ponte ao país, alerta especialista ::

Maluf: “Não é verdade que só a China tem estoque. O governo faz uma opção pela privada regra e aposta que funcionamento dos direitos assegure melhores resultados. A

Conab (Companhia Nacional de Abastecimento) deixou de ter uma política de garantia de preços ativa “.

Edição: Leandro Melito e Rogério Jordão


2020 2020

- Publicidade -

Veja Também

Sorriso Maroto lança segundo volume do projeto “A.M.A, Antes que o Mundo Acabe”

Destaque para “Mal Entendido”, composição dos irmãos Rodrigo Melim e Diogo Melim, do grupo que leva o nome da família, e de Brunno Gabryel. A canção, que estreia acompanhada do vídeo nesta sexta-feira (27), tem letra romântica e fala sobre reconciliação.

Ramada Hotel Recreio Shopping promove ceias de Natal e Reveillon

Já no Ano Novo, a festa terá decoração temática e contará também com música ao vivo, além de uma área de recreação para as crianças. Preço por pessoa sai a partir de R$ 390, o primeiro lote até 15 de dezembro.

Dafne Evangelista a influencer brasileira que é hairstylist das famosas

Ano após ano, a hairstylist tem deixado sua marca nas semanas de moda internacionais e tornando-se uma grande referência mundial em sua área. Sua criatividade e a paixão por expressividade ganham destaque por onde ela passa.
- Publicidade -

Últimas Notícias

Sorriso Maroto lança segundo volume do projeto “A.M.A, Antes que o Mundo Acabe”

Destaque para “Mal Entendido”, composição dos irmãos Rodrigo Melim e Diogo Melim, do grupo que leva o nome da família, e de Brunno Gabryel. A canção, que estreia acompanhada do vídeo nesta sexta-feira (27), tem letra romântica e fala sobre reconciliação.

Boletim Carioca

Assine nossa Newsletter e receba as últimas notícias e ofertas de nossos parceiros em seu email

Sorriso Maroto lança segundo volume do projeto “A.M.A, Antes que o Mundo Acabe”

Destaque para “Mal Entendido”, composição dos irmãos Rodrigo Melim e Diogo Melim, do grupo que leva o nome da família, e de Brunno Gabryel. A canção, que estreia acompanhada do vídeo nesta sexta-feira (27), tem letra romântica e fala sobre reconciliação.

Empório Rio, na Marina da Glória, promove sunset com degustação de vinhos argentinos

Neste sábado, 28 de novembro, a partir das 17h, o Empório Rio, na Marina da Glória, promove um sunset...

Ramada Hotel Recreio Shopping promove ceias de Natal e Reveillon

Já no Ano Novo, a festa terá decoração temática e contará também com música ao vivo, além de uma área de recreação para as crianças. Preço por pessoa sai a partir de R$ 390, o primeiro lote até 15 de dezembro.

Dafne Evangelista a influencer brasileira que é hairstylist das famosas

Ano após ano, a hairstylist tem deixado sua marca nas semanas de moda internacionais e tornando-se uma grande referência mundial em sua área. Sua criatividade e a paixão por expressividade ganham destaque por onde ela passa.

Vanessa da Mata inicia lançamentos do novo projeto “Nossos Beijos Ao Vivo No Circo Voador”

"Tenha Dó de Mim" e "Nossa Geração" são as duas faixas que acabam de ganhar clipe; assista

No Rio de Janeiro, Projeto de lei do orçamento recebe quase quatro mil emendas

A receita bruta estimada pelo Executivo é de R$ 84,8 bilhões e a receita líquida, de R$ 66,9 bilhões - com despesa de cerca de R$ 87,2 bilhões (sendo R$ 8,28 bilhões relativos ao RioPrevidência).

Rio de Janeiro recebe selo de destino seguro da Organização Mundial do Turismo

Chamado de “Safe Travels”, o selo busca certificar destinos turísticos responsáveis quanto a protocolos de prevenção à Covid-19
- Publicidade -