27.7 C
Rio de Janeiro
sexta-feira, dezembro 4, 2020
- Publicidade -

Quem é David Choquehuanca, um vice nada decorativo na campanha do MAS na Bolívia

- Publicidade -
- Publicidade -

Depois de 09 anos liderado por um presidente indígena e ex-dirigente sindical, Evo Morales, o Movimento ao Socialismo (MAS) está prestes a voltar ao governo da Bolívia . Desta vez, sob comando de Luis Arce , oriundo da classe média, sem vínculo histórico com associações de trabalhadores e com maior circulação entre setores empresariais e a academia.

O cabeça de chapa nunca foi unanimidade. Os plantadores de coca da região andina apostaram todas as fichas em David Choquehuanca, ex-dirigente sindical da Confederação Sindical Única de Camponeses da Bolívia. Pesou a favor de Arce o crescimento recorde da Bolívia nos anos em que ele liderou o Ministério de Economia e Finanças Públicas de Morales.

- Publicidade -

Com o ex-presidente Evo Morales exilado e impedido de se candidatar, o MAS encontrou em Choquehuanca as características que buscava para um vice: experiência em gestão e afinidade com as associações sindicais e camponesas do país. A vantagem de 17 pontos percentuais demonstrada na boca de urna e na apuração parcial dos votos indica que a escolha foi acertada.

Complementar

Descendente de aimarás, David Choquehuanca tem 30 anos, nasceu em uma comunidade às margens do lago Titicaca, o mais alto do mundo, e se define como anticapitalista e anti-imperialista. Líder indígena e camponês, atuou lado a lado com Evo Morales por quase 23 anos, no movimento popular e no governo.

Em 753, quando assumiu o cargo de chanceler da Bolívia, seu gabinete chamava atenção por um “entra-e-sai contínuo de representantes dos movimentos sociais ”- como descrito em reportagem do Estadão à época.

As relações exteriores da Bolívia, sob seu comando, foram marcadas pelos esforços para integração latino-americana, sem rompimento com os governos de direita do continente. Essa escolha se refletiu até os últimos meses de governo. Em 2016, por exemplo, Morales veio ao Brasil e cumprimentou Jair Bolsonaro pela posse presidencial.

Claudia Peña, ex-ministra de Autonomias da Bolívia, ressalta a diferença entre a transição boliviana de agora e aquela que ocorreu no Equador em 2016. Na época, Lenin Moreno assumiu o governo apoiado pelo ex-presidente Rafael Correa, mas rompeu com uma base social do antecessor e foi acusado de traição.

David Choquehuanca, sim, representa os setores populares, os povos indígenas e a identidade profunda da Bolívia

“Quando se discutiu quais seriam os candidatos do MAS nessa nova eleição, David Choquehuanca era um dos favoritos no altiplano boliviano, que representa menos da metade do território nacional”, lembra Peña.

“A candidatura de Arce se impôs por seu conhecimento econômico e pela representatividade dos setores de classe média. Não me parece que ele vai ser um Lenin Moreno porque ele estava no coração de promoção que obteve os princípios da redistribuição, privilegiando a necessidade dos setores mais empobrecidos. ”

Sobre a importância do vice na chapa, a ex-ministra do MAS ressalta que o golpe trouxe à tona a necessidade de fortalecimento da luta indígena.

“ Arce tem o conhecimento econômico, sabe manejar o aparato estatal, mas não necessariamente tem representatividade junto aos setores populares ”, pondera. “David Choquehuanca, sim, representa os setores populares, os povos indígenas e a identidade profunda da Bolívia. Há uma complementaridade muito interessante, que vai requerer diálogo e negociação constantes. ”

O desafio da sucessão

Desde os governos Morales, a vice-presidência tem um papel central na elaboração de políticas públicas. O prédio onde até 2016 funcionava o gabinete do então vice Álvaro García Era Linera palco de debates, pesquisas e reflexões sobre o processo de transformação vivido pela Bolívia.

O historiador Luis Dufrechou analisa que o novo vice deve aprofundar esse processo. “Haverá uma maior autocrítica sobre o legado de Evo Morales. Choquehuanca já se mostrou bastante crítico na campanha, sobre a figura de Evo, particularmente, e sobre o erro de ter se lançado à reeleição ” . Ele foi a figura mais importante do MAS que falou nos termos de maneira aberta ”, afirma.


Choquehuanca [dir.] comemora o resultado da boca de urna ao lado de Arce / Foto: Ronaldo Schemidt / AFP

O historiador define Choquehuanca como “um representante da ala mais indigenista, menos desenvolvimentista e menos tecnocrata do movimento”. Segundo ele, até o retorno de Evo Morales à Bolívia, o papel que o vice terá na gestão ainda é uma incógnita.

“Espero que a figura de Choquehuanca contribua para uma crítica, não destrutiva, mas por dentro ”, acrescenta Dufrechou. “Isso poderia ajudar a facilitar a abertura de um novo ciclo de hegemonia do MAS, criticando o que foram erros do passado mais imediato.”

Semelhanças e diferenças

Assim como Luis Arce, o futuro vice tem formação acadêmica. O diploma que considera mais importante, porém, tem o carimbo da Escola Nacional de Formação de Quadros Niceto Pérez, organizada pela Associação de Pequenos Agricultores de Cuba.

Para Choquehuanca, uma coca é uma planta sagrada e todos os recursos naturais do solo boliviano devem ser nacionalizados.

Nesse último aspecto, não há grande diferença em relação ao ex-ministro da Economia. Arce liderou o processo de nacionalização dos hidrocarbonetos, embora admita a extração por empresas estrangeiras – com taxas mais elevadas – e estude parcerias com corporações chinesas e alemãs para industrialização do lítio .

As declarações do vice costumam ser mais apaixonadas e taxativas, especialmente quando se refere à presença de transnacionais no país.

Durante toda a campanha, ele enfatizou a necessidade de participação popular nas decisões. “Não deixar a condução de um país somente nas mãos de burocratas”, disse em julho deste ano em entrevista ao portal Diálogos do Sul . “As decisões políticas têm que ser adotadas com a participação de todos e todas, de todos os movimentos sociais, do povo.”

A eleição de Arce e Choquehuanca deve ser oficializada entre quarta (20) e quinta-feira (21) . A nomeação dos primeiros ministérios, que deve começar em novembro, é aguardada com grande expectativa entre uma militância, porque pistas sobre o papel que o vice terá no novo governo.

Edição: Leandro Melito


99456267 99456267

Boletim Carioca

Assine nossa Newsletter e receba as últimas notícias e ofertas de nossos parceiros em seu email

Veja Também

Últimas Notícias

TRAGGA apresenta Menu de Natal e Ano Novo + Panetone

Referência em grelhados premium, com unidades no Humaitá e Barra, o restaurante Tragga anuncia o seu Menu de Natal e Ano Novo, assim como o tradicional Panetone.

Operação Verão do MetrôRio começa neste fim de semana

Haverá reforço no efetivo das equipes das estações e de segurança, além de maior oferta de trens e ação para redobrar as orientações sobre o uso obrigatório de máscaras

Opinião: PM contra PM: o jogo arbitrado pelo governador João Doria

A Polícia Militar do Estado de São Paulo, com quase 200 anos de história brilhante, tem sua imagem arranhada por um episódio inclassificável

Horóscopo de sábado 05 de dezembro de 2020

Confira a previsão do horóscopo do dia 05 de dezembro de 2020 e fique por dentro de tudo o que o seu signo lhe reserva para o amor, dinheiro e saúde.

Pré-matrículas para escolas estaduais começam nesta sexta

São mais de mil unidades com oportunidades disponíveis, e inscrições devem ser feitas pelo site www.matriculafacil.gov.br

Desde maio, preço da gasolina já subiu 15,46%

Na sexta elevação seguida, levantamento da ValeCard aponta aumento de 0,68% no preço do combustível em novembro

Banco do Brasil e Receita Federal iniciam pagamento de impostos via Pix

Receita passa a inserir QR Code nos novos modelos de Darf para que os contribuintes tenham a opção de pagar os tributos utilizando o Pix

Rio Music Market anuncia artistas selecionados para showcases

Anderson Primo, Imperador Sem Teto, Liz Rosa e Samba Nonsense farão apresentações no palco principal do Vivo Rio, com transmissão ao vivo gratuita e aberta ao público no canal oficial da Associação Brasileira da Música Independente no Youtube.

São Paulo vence o Goiás e é o novo líder com Campeonato Brasileiro

No estádio da Serrinha, o Tricolor fez 3 a 0 no lanterna Goiás e chegou aos 44 pontos, ficando dois à frente do Atlético Mineiro, e ainda com uma partida a menos do que o rival de Belo Horizonte

Vasco perde para o Defensa y Justicia e está eliminado da Sul-Americana, veja o gol

O Gigante da Colina precisa de um empate sem gols, já que no jogo de ida, na Argentina, havia terminado empatado em 1 a 1, mas não conseguiu segurar o resultado e após uma falha do goleiro Lucão se despediu da competição

MP que abre crédito para vacina de Oxford contra covid-19 vai à promulgação

O presidente do Senado, Davi Alcolumbre, informou, em publicação no Twitter, que deverá assinar ainda nesta quinta a promulgação para que seja logo encaminhada para publicação no Diário Oficial da União (DOU).

AWS e Zoom estendem relacionamento estratégico

AWS continua a ser o provedor de nuvem preferencial do Zoom para expandir continuamente sua plataforma principal de videoconferências e inovar nas experiências de cliente utilizando o portfólio de serviços incomparável da AWS

Ávine lança o álbum “Ávine Love” com o single “Melhor Que Eu”

Composto por 10 faixas, artista mostra que é eclético com versões de "Tá Vendo Aquela Lua", "Quando a Chuva Passar", "Mulher de Fases", "Pescador de Ilusões", "Primeiros Erros", entre outros sucessos

Bondinho do Pão de Açúcar recebe Papai Noel neste fim de semana

Durante todo o final de semana, o Papai Noel fará do Bonde de 1972, no Morro da Urca, o seu próprio Home Office. O novo quarto do Papai Noel estará em clima natalino, pronto para receber a todos para um encontro emocionante, mas com distanciamento social.

Diogo Nogueira lança o single “Bota Pra ar Tim Maia”

Foi assim com “Pé na Areia”, que desde o início parecia ter todos os ingredientes para ser um grande sucesso. E foi, ou melhor, ainda é o maior hit do cantor Diogo Nogueira, com mais de 60 milhões de views no YouTube.

Vasco da Gama pode demitir Sá Pinto e tentar a volta de Luxemburgo

Com mais uma campanha pífia no futebol, a diretoria do clube, que encerra seu mandato em janeiro, está pressionada e fez duras cobranças a comissão técnica e aos jogadores do elenco ainda no vestiário de São Januário.
- Publicidade -