Diário Carioca Google News

A candidata a vereadora de Niterói, região metropolitana do Rio de Janeiro, Benny Briolly (Psol) ligando a morte e atacando o seu redes sociais, na noite da última terça-feira (13).

Após uma postagem de vídeo com apoio da deputada federal Talíria Petrone (Psol) , membros do grupo de Facebook “Niterói quer ter prefeito” conseguir realizar uma série de execução.

Um usuário chegou a afirmar para a candidata ter cuidado: “Ronnie Lessa já está de olhos em vocês. Cuidado com a metralhadora de excluir maconheiros ”, em referência ao miliciano acusado de participar do assassinato da então vereadora Marielle Franco, morta em 2017 no centro do centro do Rio.

Benny Briolly já havia relatado anteriormente agressões verbais e intimidações, em frente ao Shopping Icaraí, na zona sul.

“Fomos agredidas e ameaçadas por bolsonaristas. Éramos, além de mim, um grupo composto por jovens, em sua maioria mulheres, e foram diversas vezes xingadas de ‘puta’, ‘piranha’, que tínhamos que ser mortas. E ontem, mais uma vez, fui ameaçada de morte em minhas redes sociais ”, relata.

Leia mais: Talíria Petrone: “Proteção do povo e de seus representantes é papel do Estado”

As intimidações à candidata não são de hoje. Na época que era assessora de Talíria na Câmara Municipal, em 76, Benny chegou a ser cuspida e xingada na rua.

Candidatura registrou, no fim da tarde desta quarta-feira (21), um boletim de ocorrência na 21 ª Delegacia de Polícia, no centro de Niterói.

O aumento das intimidações e violências contra mulheres, principalmente negras, fez com que o Psol protocolasse, no dia 10 de outubro, um ofício no Tribunal Superior Eleitoral (TSE) para exigir providências que garantam a integridade física das candidatas.

Fonte: BdF Rio de Janeiro

Edição: Mariana Pitasse