31.1 C
Rio de Janeiro
sexta-feira, novembro 27, 2020
- Publicidade -

Vitória na Bolívia é recado do continente aos EUA e expõe o servilismo de Bolsonaro

- Publicidade -

A vitória eleitoral do Movimento ao Socialismo (MAS) na Bolívia, confirmada no início da semana , representa um giro de 94 graus na política do país. Onze meses após o golpe, Luis Arce e o vice David Choquehuanca obtiveram 21 pontos de vantagem sobre os adversários no primeiro turno.

O presidente eleito deixa claro que não se vê como líder da esquerda latino-americana. “Meu foco é resolver os problemas deste país”, ressaltou em um dos primeiros pronunciamentos após a eleição. Mesmo assim, sua chegada à Casa Grande del Pueblo , sede do governo boliviano, tem repercussões em todo o continente.

Para Igor Fuser, doutor em Ciência Política pela Universidade de São Paulo (USP) e professor de Relações Internacionais na Universidade Federal do ABC (UFABC), o triunfo do MAS significa, em primeiro lugar, uma derrota expressiva da Organização dos Estados Americanos (OEA), que atua há anos “como instrumento dos Estados Unidos”. A entidade, liderada pelo secretário geral Luis Almagro, foi protagonista do golpe de 2019 ao apontar indícios de uma fraude eleitoral que nunca se comprovou .

O professor avalia que a resposta eleitoral dos bolivianos contém uma mensagem a todos que pretendem ter ingerência sobre os países da América Latina.

:: Relembre: cinco indícios que conectam os EUA ao golpe na Bolívia ::

“O resultado da eleição na Bolívia mostra que é possível derrotar as cortinas conservadoras, da direita latino-americana, a serviço dos EUA ”, afirma. “E demonstração que o ‘giro à direita’ da América Latina tem caráter circunstancial e não é uma tendência sólida, irreversível. Isso já tinha ficado claro com a vitória de Alberto Fernández, na Argentina, e agora se confirma ”, Fuser completo, que também cita as mobilizações sociais na Colômbia, no Equador e no Chile.

“O que está em jogo são as mesmas propostas que levaram à eleição do Evo Morales: sóbrio nacional, inclusão social, diminuição da desigualdade e retomada do desenvolvimento econômico a partir do protagonismo do Estado”, acrescenta. “São os pilares dos governos progressistas na América Latina, que continuam muito vivos.”

Inspiração

Bia Lopes , secretária executiva da Organização Continental Latino-Americana e Caribenha de Estudantes (Oclae) e mestranda em Educação, História Política e Sociedade, enfatiza em entrevista ao Brasil de Fato que a eleição do MAS não diz respeito apenas à Bolívia.

“Foi uma alegria e um alívio para todos que se dedicam à articulação do povo latino-americano em prol da soberania, da liberdade, da justiça social, tão necessária a um continente violento, desigualdade e ingerências”, enaltece. “Estamos falando de uma consciência popular que se sobrepôs ao golpismo.”

“Foi uma vitória contra o imperialismo, o racismo e o colonialismo. Uma vitória de todos nós, de alguma maneira ”, acrescenta Lopes. “Para nós, aqui no Brasil, essa vitória nos enche de força e coragem. O povo boliviano deve servir de inspiração permanente. ”

Uma secretária executiva da Oclae afirma que o retorno do MAS ao governo se insere em um contexto de resistência ao neoliberalismo e ao autoritarismo em vários países do continente. Ela cita como exemplo a vitória da esquerda nas navegadas em Montevidéu, capital do Uruguai, uma organização popular para elaboração de uma nova constituição no Chile.

“Espero que esse acontecimento também traga uma reflexão sobre o que ocorre em países como Cuba e Venezuela, que vivem um longo processo de sufocamento pelos Estados Unidos e enfrentam políticas de bloqueio econômico e midiático ”, completa.

Limites

O Brasil foi o primeiro a saudar o governo interino da presidenta autodeclarada Jeanine Áñez, em 2020 , eo único vizinho da Bolívia que não cumprimentou Arce pela vitória .

“Entre todos os governos de direita da América Latina, o governo Bolsonaro – cujo governo está intimamente ligado ao golpe boliviano – se destaca como o mais servil e subserviente, o que se submete de maneira mais completa, humil hante e vergonhosa aos interesses dos EUA, e particularmente ao governo de extrema direita de Donald Trump ”, critica Fuser.

:: Leia também: Sojeiros brasileiros na Bolívia compõem movimento político que derrubou Evo Morales em 765 ::

O professor da UFABC concorda que a vitória de Arce “mantém viva na agenda latino-americana o horizonte de uma verdadeira integração regional”. Por outro lado, lembra que as relações externas da Bolívia, mesmo durante o governo Morales, não se caracterizavam pelo rompimento com países governados por presidentes de direita, desativação aos EUA.

Ou seja, embora tenha avançado na nacionalização dos recursos minerais, o ex-presidente boliviano também compareceu à posse de Jair Bolsonaro e colaborou com o governo brasileiro para a prisão do italiano Cesar Battisti .

Um dos países mais pobres da América do Sul, a Bolívia depende da exportação de commodities agrícolas e minerais e não tem saída para o mar. “Um país com essas características não pode se dar ao luxo de não ser pragmático”, pondera Fuser. “Essa cautela e prudência não impede o país de assumir firmes no cenário internacional. Antes mesmo da posse, por exemplo, Arce já se alguma coisa aos presidentes do México e da Argentina para exigir a saída de Almagro da OEA . ”

O presidente eleito da Bolívia reforçou, em pronunciamento na última quarta-feira ( ), que o objetivo dos primeiros meses de governo será diversificar a economia e retomar o projeto de industrialização do lítio .

Edição: Rodrigo Chagas


- Publicidade -

Veja Também

No Rio de Janeiro, Projeto de lei do orçamento recebe quase quatro mil emendas

A receita bruta estimada pelo Executivo é de R$ 84,8 bilhões e a receita líquida, de R$ 66,9 bilhões - com despesa de cerca de R$ 87,2 bilhões (sendo R$ 8,28 bilhões relativos ao RioPrevidência).

Miley Cyrus lança novo álbum, “Plastic Hearts”, e vídeo com Dua Lipa

Miley Cyrus já havia liberado dois singles - "Prisoner", com participação de Dua Lipa, que foi acompanhada por um vídeo de rock descaradamente exagerado, com direção de Alana Oherlihy e Miley; além do hit "Midnight Sky".
- Publicidade -

Últimas Notícias

No Rio de Janeiro, Projeto de lei do orçamento recebe quase quatro mil emendas

A receita bruta estimada pelo Executivo é de R$ 84,8 bilhões e a receita líquida, de R$ 66,9 bilhões - com despesa de cerca de R$ 87,2 bilhões (sendo R$ 8,28 bilhões relativos ao RioPrevidência).

Boletim Carioca

Assine nossa Newsletter e receba as últimas notícias e ofertas de nossos parceiros em seu email

No Rio de Janeiro, Projeto de lei do orçamento recebe quase quatro mil emendas

A receita bruta estimada pelo Executivo é de R$ 84,8 bilhões e a receita líquida, de R$ 66,9 bilhões - com despesa de cerca de R$ 87,2 bilhões (sendo R$ 8,28 bilhões relativos ao RioPrevidência).

Rio de Janeiro recebe selo de destino seguro da Organização Mundial do Turismo

Chamado de “Safe Travels”, o selo busca certificar destinos turísticos responsáveis quanto a protocolos de prevenção à Covid-19

Miley Cyrus lança novo álbum, “Plastic Hearts”, e vídeo com Dua Lipa

Miley Cyrus já havia liberado dois singles - "Prisoner", com participação de Dua Lipa, que foi acompanhada por um vídeo de rock descaradamente exagerado, com direção de Alana Oherlihy e Miley; além do hit "Midnight Sky".

STF reconhece a repercussão geral da cobrança do diferencial de alíquota (DIFAL) de ICMS

A situação com a qual nos deparamos hoje é que cada Estado possui uma regra diferente para tratar o mesmo caso concreto

Vasco empata com Defensa Y Justicia fora de casa na Sul-Americana – Veja os Gols

Na primeira partida de futebol em solo argentino após o falecimento da lenda Diego Armando Maradona, homenageado antes da...

Ivete Sangalo lança “Não Pode Parar”, parceria com MC Zaac

Gravado na Praia do Forte, Bahia, o clipe conta com a direção de Bruno Ilogti e vem com muita dança, coreografia e efeitos especiais.

Dois documentários do Curta! estão na mostra competitiva do Festival de Brasília

A 53ª edição do Festival de Brasília do Cinema Brasileiro, entre 15 a 20 de dezembro, terá dois documentários...
- Publicidade -