29 C
Rio de Janeiro
terça-feira, dezembro 1, 2020
- Publicidade -

Artigo | Com fim do auxílio emergencial, Bolsonaro consolida a fome no Brasil

- Publicidade -

Os efeitos da pandemia de Covid – 10 prometem continuar se manifestando por muito tempo na vida das pessoas, principalmente dos brasileiros.

A crise econômica, agravada pela pandemia, levou o país a níveis registros de desemprego e de fechamento de empresas, bem como a uma situação que há anos não ouvíamos falar com tanta frequência: a fome voltou a assombrar o povo.

Bolsonaro prepara uma tragédia nacional e consolida a fome e a miséria como projeto de governo.

Mesmo em meio ao contexto caótico, onde militantes de pessoas voltaram a passar fome no país, o governo federal e o presidente Jair Bolsonaro cortaram o auxílio emergencial pela metade e insistema em querer extinguir o benefício, ampliando a fome e o número de pessoas sem acesso regular à alimentação básica.

Alta dos preços dos alimentos

Trabalhadores e trabalhadoras que vão aos supermercados já percebemos que os preços dos alimentos estão cada vez mais altos, o agricultor continua sem políticas públicas e o País não possui projetos de geração de emprego e renda nem agora e nem para o pós-pandemia. Se houver pós-pandemia, pois não sabemos até quando vamos enfrentar essa doença.

O auxílio emergencial foi um projeto apresentado pela apresentação na Câmara dos Deputados e já beneficiou mais de 65 milhões de brasileiros, de acordo com a Caixa Econômica Federal.

Outro ponto de destaque, segundo a Serasa Experian, empresa que monitora os índices de inadimplência no Brasil, é que o auxílio foi responsável por manter as contas dos brasileiros em dia: cerca de 2,5 milhões de pessoas conseguiram renegociar suas dívidas.

Mais uma prova de que o dinheiro não fica parado nas camadas populares, rendendo dividendos como o dinheiro dos bilionários do Brasil.

Outros 15 milhões de brasileiros (cerca de 23, 7% dos que receberam o auxílio emergencial) saíram da extrema pobreza, segundo a Fundação Getúlio Vargas.

Auxílio emergencial impulsiona economia

Não é apenas o po vo que já está percebendo as consequências do corte do auxílio emergencial.

O comércio já sente os efeitos da diminuição do valor. A tendência é que o volume de vendas dos últimos meses tenha uma queda expressiva, já que, com a diminuição do benefício, a população terá que fazer cortes em áreas relevantes.

Além disso , a indústria e a agricultura estão bem longe de voltar ao patamar de antes da pandemia.

Sabemos que o auxílio emergencial pode ser custeado com outros recursos, como, por exemplo, a tributação sobre grandes patrimônios, heranças, lucros e dividendos dos bilionários brasileiros.

O Partido dos Trabalhadores defende há anos esse tipo de taxação de grandes fortunas, o que ajudaria a equilibrar as contas e oferecer melhores condições de vida à população da população.

Tributação do grande capital

Além da tributação, outra forma rápida de manter o auxílio emergencial ativo seria utilizado parcialmente o dinheiro das reservas internacionais que o Brasil possui.

Atualmente, estão em torno US $ 350 bilhões, o que equiva le a R $ 1,9 trilhão. Essas reservas são aditivos disponíveis e controlados pelo Banco Central para atender necessidades de câmbio e manter a economia brasileira. O lucro auferido pelo BC poderia ser parcialmente usado para financiar o auxílio emergencial.

É uma vergonha que Bolsonaro e sua trupe reduzam esses pagamentos.

É vergonhoso que um país rico como o Brasil está lidando com um presidente que não tem o menor interesse em socorrer a população mais pobre e um ministro da economia ultraliberal que brinque com a vida dos mais vulneráveis.

Por isso, toda a escolha está unida e impedindo votações no Parlamento até que a presidência do Congresso Nacional coloque uma Medida Provisória 1000 / 2020 em votação.

A MP prorroga o auxílio, e nós defendemos que ele seja mantido com os mesmos valores iniciais: R $ 600, , e não a metade, como o governo obteve na MP.

Eu e meu mandato estamos firmes na luta pela manutenção do auxílio emergencial de R $ 600, e exigimos a votação da M P 1000 / 19.

Zeca Dirceu é deputado federal do Paraná pelo Partido dos Trabalhadores e vice-líder da Minoria na Câmara dos Deputados

Este é um artigo de opinião. A visão do autor não necessariamente expressa a linha editorial do jornal Brasil de Fato

Edição: Rodrigo Durão Coelho


- Publicidade -

Veja Também

Kiko Soares lança dueto com Beth Carvalho: “Pagode do Trem”

Kiko Soares chega bem acompanhado neste seu primeiro single, que lança nesta semana em que se comemora o dia do samba: Beth Carvalho divide com ele os vocais de “Pagode do Trem”
- Publicidade -

Últimas Notícias

- Publicidade -

Boletim Carioca

Assine nossa Newsletter e receba as últimas notícias e ofertas de nossos parceiros em seu email

Horóscopo de quarta-feira 02 de dezembro de 2020

Confira a previsão do horóscopo do dia 02 de dezembro de 2020 e fique por dentro de tudo o que o seu signo lhe reserva para o amor, dinheiro e saúde.

Clientes Giro terão 30 dias grátis em aplicativo de jornais e revistas

Além de ganharem um mês pelo uso da Bebanca, os interessados vão contar com 70% de desconto na plataforma do parceiro posteriormente

Kiko Soares lança dueto com Beth Carvalho: “Pagode do Trem”

Kiko Soares chega bem acompanhado neste seu primeiro single, que lança nesta semana em que se comemora o dia do samba: Beth Carvalho divide com ele os vocais de “Pagode do Trem”

Livro RioFilme: O cinema carioca na lente da história será lançado no Rio

A Prefeitura do Rio, por meio da Secretaria Municipal de Cultura e da RioFilme, realizará nesta quinta-feira (03/12), às 13 h, o lançamento do livro RioFilme: O cinema carioca na lente da história, na Biblioteca Parque

Agora é lei: Rio de Janeiro terá plano para enfrentamento da covid-19 na gestão dos servidores de limpeza urbana

O objetivo principal é a adoção de medidas de proteção epidemiológica com atenção especial para a saúde dos catadores de materiais reutilizáveis ou recicláveis e demais trabalhadores nos serviços de resíduos sólidos.

DF: Nova Lei do Gás pode contribuir para redução do preço do gás de cozinha

Ao passar por reajustes ao longo dos últimos meses, preço do gás de cozinha tem...
- Publicidade -