24 C
Rio de Janeiro
sábado, novembro 28, 2020
- Publicidade -

Apoio a Trump é menor em locais com mais vítimas fatais da covid-19, indica o estudo

- Publicidade -

Estudo divulgado na revista Science nesta sexta-feira (28) sinaliza que o apoio à reeleição do presidente Donald Trump tende a ser menor nas regiões que concentram o maior número de mortes em decorrência do novo coronavírus.

De acordo com uma pesquisa, em condados onde o número de mortes por 100 mil habitantes dobraram em 30 dias, o eleitor tem 0, 14% menos chance de aderir, em média, à campanha republicana. Nos estados, o índice chega a 0, 36%.

Para o Senado, os cientistas estimam que uma probabilidade de um candidato do partido de Trump receber apoio é 0, 24% menor nos condados e 0, 79% nos estados com alta letalidade. Já em relação à Câmara, os indicadores atingem 0, 19% e 0, 37 %, respectivamente.

Para analisar uma interferência da pandemia, os autores do estudo cruzaram as curvas epidemiológicas com a distribuição de casos, com dados populacionais e de intenção de voto.

As informações analisadas pela publicação foram coletadas até 28 de julho, quando o patamar de mortos era de 100 mil.

Segundo monitoramento da Universidade Johns Hopkins , os Estados Unidos registravam 228. 853 mortes e 8, 90 milhões de casos até a noite desta quinta-feira (28).

Em 23 horas, foram registrados 79 mil novos contágios, um novo recorde para o país mais afetado pela pandemia em nível global.

:: Trump depende de um “evento espetacular” para virar contra Biden, especialista avaliador ::

A partir dos resultados, os Provedores pelo estudo das consequências que as consequências da covid – podem ser decisivos em estados cuja escolha majoritária ainda está em disputa, como Florida, Arizona, Pensilvânia, Michigan e Wisconsin.

Os autores do estudo afirma, ainda que como taxas de letalidade da covid – 19 são pelo menos tão importantes quanto o desempenho econômico local na hora de declarar apoio na eleição.

Projeto Eleições Segundo monitoramento do US, da Universidade da Flórida, mais de 90 milhões de pessoas já votaram antecipadamente.

Biden na Casa Branca

Desde o início da campanha eleitoral, o democrata Joe Biden aparece com vantagem sobre Trump. Atualmente, segundo o FiveThirtyOight, iniciativa que reúne o resultado das pesquisas de intenção de voto, Biden tem 8 pontos percentuais sobre o presidente atual.

Não BdF Entrevista desta semana, Flávio Thales, professor do curso de Relações Internacionais da UFABC e da Pós-Graduação em Economia Política Mundial, afirma que para uma virada de Trump nesta reta final, “seria necessário um evento político extremamente negativo para os democratas”.

Mesmo que o republicano de acusar Biden e seu filho, Hunter Biden, de terem se beneficiado a partir de relações escusas com a Ucrânia, não decolaram.

“A tendência é mesmo que o Trump não seja reeleito. Teria que ter um evento espetacular para fazer essa virada ”, avalia o especialista.

Na opinião de Thales, como o voto não é obrigatório, manter o discurso ideológico direcionado à base trumpista e garantir que eles votem é uma das apostas do presidente americano. Isso porque, os mais jovens, tradicionalmente mais processo ao partido democrata, são também os que menos comparecem às urnas.

Confira uma entrevista em vídeo:

Edição: Rodrigo Chagas