26.6 C
Rio de Janeiro
sexta-feira, novembro 27, 2020
- Publicidade -

Atraso de projeto do Minha Casa Minha Vida ameaça moradia de 192 famílias em SP

- Publicidade -

Na zona sul de São Paulo (SP), o Conjunto Residencial Santa Sofia II, uma aptidão do Programa Minha Casa Minha Vida Entidades, corre o risco de não sair do papel . A modalidade foi uma conquista dos movimentos de moradia e, no bairro Jardim Turquesa, deu a 192 famílias o direito de construir seus próprios projetos por meio de mutirão.

Na última quinta-feira (11), após se manifestarem em frente à sede da Secretaria Municipal do Verde e do Meio Ambiente de São Paulo, os futuros moradores afirmam que conseguiram encaminhar a aprovação do Termo de Compromisso Ambiental (TCA), que estava travado há mais de oito meses. Elas já esperadas mais de cinco anos pela permissão da Companhia Ambiental do Estado de São Paulo (Cetesb).

“São famílias que têm a pior condição de trabalho e de renda, estão submetidas à pior forma de moradia. Gastam duas, três horas para chegar no trabalho e ainda participam de reuniões, e ainda participam de processo de formação, e ainda cuidam desse terreno, e ainda constroem a esperança “, destaca a assistente social Cíntia de Almeida Fidelis, que acompanha a situação das famílias.

Com o TCA, o projeto seguirá a aprovação da Secretaria de Municipal de Licenciamento (SEL). O recebimento é que o processo não se conclui até o prazo acordado com a Caixa Econômica Federal para a liberação da verba destinada à construção das moradias. É o que revela a advogada do Centro Gaspar Garcia de Direitos Humanos, Juliana Avanci, que assessora as famílias.

“Até abril do ano que vem a gente tem que estar com todos os alvarás. A obra tem que estar apta à contratação, mesmo que não tenha ali uma assinatura da segunda fase. Não temos mais como pedir excepcionalização à Caixa ”, explica Avanci.

Leia também: Em Macaé (RJ), 26 famílias de assentamento do MST estão sob ameaça de despejo

A compra do terreno

A Caixa Econômica Federal adquiriu o terreno de forma antecipada em contrato firmado em abril de 2013, após as famílias apresentarem os projetos e estudos de viabilidade com o suporte da Assessoria Técnica Ambiente Arquitetura. Desde então, a posse da área está no nome do Movimento Habitacional de Ação Social (MOHAS), que organiza e mobiliza as famílias.

“É um desrespeito com a habitação de interesse social, porque com as construtoras não acontece isso. Construtoras aprovar seus projetos mais rápido e não é isso que acontece com os movimentos sociais “, afirma Vani Poletti, coordenadora do MOHAS.

Apesar da espera, as famílias resistem, 77% delas são chefiadas por mulheres e vivem hoje no entorno do terreno, que está localizado dentro da bacia de Guarapiranga e vem sofrendo com infiltração de ocupações. A área é identificada por conflitos fundiários, que se acentuaram com o cenário de desemprego e pobreza impostos pela pandemia.

“Ansiosa para ver minha casa, está difícil, mas a gente está lutando. Aí a gente faz passeata, a gente faz atividades no terreno, atividades que vai ajudar a gente quando a gente já estiver aqui dentro “, relata a moradora do bairro Jardim Turquesa Odete Abidon da Silva.

Leia mais: Ocupação planta 16 mil mudas em horta agroecológica na grande Curitiba

Retrocessos

Em 2020, o déficit habitacional na cidade de São Paulo superou pela primeira vez na história a marca de 1 milhão de moradias, de acordo com estudos realizados pela Fundação Getúlio Vargas (FGV) . Ao todo, 63 empreendimentos do Minha Casa Minha Vida estão parados no município, segundo a própria Secretaria Municipal de Habitação .

A nível nacional, com Jair Bolsonaro (sem partido) a frente da Presidência da República, o Ministério das Cidades e a Minha Casa Minha Vida foram extintos. Em substituição ao programar ma social de habitação, o governo federal propôs o Programa Casa Verde e Amarela via Medida Provisória, que aguarda aprovação no Congresso Nacional.

A proposta de Bolsonaro é amplamente criticada pelos movimentos , pois não prevê a construção de novas casas para uma chamada “faixa 1”, voltada à população mais vulnerável.

“Este terreno é fruto e resultado de uma política pública e de um governo, que a gente não tem mais. Não sabemos se de fato, o recurso para contratar a obra, no momento que a gente conseguir superar todas as aprovações, vai acontecer de fato “, finaliza Fidelis.

Relembre: MTST garantia suspensão de cobrança do Minha Casa Minha Vida em SP durante a pandemia

Outro lado

Em nota enviada à reportagem, a Secretaria Municipal do Verde e do Meio Ambiente afirma que o projeto atende ao estabelecido na Lei 13. 315 / 13 de uso e ocupação de solo, relativa à arborização do sistema viário e que, após a avaliação dos técnicos da SVMA, foi verificado que “não há necessidade de TCA, uma vez que já existia autorização da CETESB para o corte de árvores, juntamente com a compensação ambiental”.

A pasta argumenta também que “aguarda o envio, por parte da Associação MOHAS, de plantas do Projeto de Arborizaç ão do viário assinadas por profissional habilitado “. Mas não informado o motivo da demora no retorno.

O Brasil de Fato entrou em contato também com a Secretaria Municipal de Licenciamento e com a Caixa Econômica Federal. A reportagem será atualizada assim que as respostas anteriores.

Edição: Marina Duarte de Souza

- Publicidade -

Veja Também

- Publicidade -

Últimas Notícias

Boletim Carioca

Assine nossa Newsletter e receba as últimas notícias e ofertas de nossos parceiros em seu email

Vasco empata com Defensa Y Justicia fora de casa na Sul-Americana – Veja os Gols

Na primeira partida de futebol em solo argentino após o falecimento da lenda Diego Armando Maradona, homenageado antes da...

Ivete Sangalo lança “Não Pode Parar”, parceria com MC Zaac

Gravado na Praia do Forte, Bahia, o clipe conta com a direção de Bruno Ilogti e vem com muita dança, coreografia e efeitos especiais.

Dois documentários do Curta! estão na mostra competitiva do Festival de Brasília

A 53ª edição do Festival de Brasília do Cinema Brasileiro, entre 15 a 20 de dezembro, terá dois documentários...

Daniela Albuquerque entrevista Cesar Filho nesta quinta-feira

Dono de uma voz singular, Cesar trabalha como jornalista há quase 40 anos, na televisão e no rádio. Já...

Produções na HBO que combinam romance e comida

A HBO estreou recentemente a minissérie espanhola FOODIE LOVE, a primeira produção para televisão escrita e dirigida pela reconhecida...

Um novo peão entrou de surpresa em A Fazenda 12, nesta quinta-feira, 26/11: o CB, influenciador digital da Casas Bahia, está na sede...

Cada episódio de A Fazenda traz muitas novidades e reviravoltas para o público e para os integrantes do reality,...

RedeTV! promove sabatina com Bruno Covas (PSDB) nesta sexta-feira

A RedeTV! realiza nesta sexta-feira (27), às 21h45, uma sabatina com o candidato à Prefeitura de São Paulo, Bruno...
- Publicidade -