O Índice de Confiança da Indústria, medido pela Fundação Getulio Vargas (FGV), recuou 0,7 ponto de março para abril. Foi a quarta queda consecutiva do indicador, que atingiu 103,5 pontos, o menor nível desde agosto de 2020 (98,7 pontos). Constatou-se piora na confiança dos empresários brasileiros em 14 dos 19 segmentos industriais pesquisados.

O Índice de Situação Atual, que mede a percepção do empresariado em relação ao presente, caiu 1,4 ponto e chegou 110 pontos, menor nível desde setembro de 2020 (107,3 pontos). Já o Índice de Expectativas, que mede a confiança no futuro, cedeu 0,2 ponto e atingiu 96,9 pontos, menor nível desde julho de 2020 (90,5 pontos).

O Nível de Utilização da Capacidade Instalada recuou 1,6 ponto percentual, indo para 76,7%, o menor patamar desde agosto de 2020 (75,3%).

“O ritmo lento do processo de vacinação, a desvalorização do real e a escassez de insumos enfrentada por alguns setores criam um ambiente de incerteza que favorece a piora da situação corrente e a manutenção de expectativas cautelosas, em níveis inferiores a normalidade, ou seja, abaixo de 100. Entretanto, o estabelecimento dos programas de manutenção do emprego e auxílio às empresas poderá colaborar para a recuperação das expectativas para o início do próximo semestre”, disse a economista da FGV Claudia Perdigão.

Agência Brasil é uma agência pública de notícias da EBC. Informações sobre política, economia, educação, direitos humanos e outros assuntos.