Diário Carioca Google News

O bicampeão mundial Gabriel Medina disparou na classificação do Circuito Mundial de Surfe na madrugada desta terça-feira (25) após vencer a etapa Rottnest Search, na Austrália. Antes de conquistar o título, o segundo na temporada, Medina superou na semifinal o compatriota Ítalo Ferreira, vice-lider no ranking. Na sequência, surfou melhor que o australiano Morgan Cibilic e levantou o troféu de Rottnest Search, a quarta e última etapa da “perna australiana” que só teve brasileiros no alto do pódio.

“Esse troféu é especial para mim, porque tem muita história. Quando eu comecei a competir no CT, meu sonho era disputar os eventos do Search para surfar ondas perfeitas e agora estou aqui novamente, com este troféu incrível, disse Medina em entrevista à World Surf League (WSL). 

.@gabriel1medina earns his second win of the Australian leg as your Rip Curl Rottnest Search Champion.


Replay all the action on https://t.co/ie0ZfMVLPY@ripcurl @corona @WestAustralia @HarveyNormanAU pic.twitter.com/tq5Jdx9oZJ

— World Surf League (@wsl) May 25, 2021

“Eu estava bem triste esse ano e nem queria vir para cá. Mas, minha mulher (Yasmim Brunet) falou: vamos, você está surfando, treinando, por que não está feliz? No final, foi a melhor decisão. Senti que superei as expectativas em todos os eventos aqui e todo mundo tem dias difíceis. O importante é ser forte, que tudo tem a sua recompensa”, revelou o surfista do litoral paulista, que só nesta temporada chegou a quatro finais em cinco etapas disputadas. 

Após dois dias de paralisação da etapa devido às condições do mar, a disputa foi retomada nesta madrugada, ainda com frequência reduzida de ondas. Na primeira semifinal, o dono da casa Morgan Cibilic (nota final 10.67) eliminou Liam O’Brien (8.33). 

A outra semi teve embate verde e amarelo: o paulista Medina contra o potiguar Ítalo, ainda com ondas fracas. Mesmo assim, Medina sobrou diante do compatriota,  também campeão mundial, com nota final 13.70 contra 7.17 do potiguar. 

No confronto final, ainda com ondas ruins – fechando rápido – Medina e o autraliano Morgan Cibilic travaram uma disputa equilibrada no início da bateria. Após surfar uma esquerda e sair com rasgadas em velocidade, Medina obteve nota 7.00. Já o adversário fez 7.27. Já a 19 minutos para o fim da bateria, Medina sobrou no mar australiano, recebendo 8.50, com somotário de 15.50. Na sequência, o australiano ficou esperando a onda perfeita para tentar superar a nota de Medina, mas o mar não colaborou, e o título ficou com o brasileiro.

A próxima etapa será na onda artificial de Surf Ranch, na Califórnia (Estados Unidos) no período de 18 a 20 de junho.

Agência Brasil é uma agência pública de notícias da EBC. Informações sobre política, economia, educação, direitos humanos e outros assuntos.