“Ficou ao tempo. Ao tempo da noite, ao tempo de vento.” Quadros expostos a tempos diferentes são uma parte da exposição individual “Se foi, tempo”, da artista plástica Mary Dutra, que, desde o início da pandemia, começou a escrever textos sobre o tempo em máquina de escrever.

Dezenove telas ficaram “ao tempo” durante 6 meses. A artista explica que como cada dia nos traz um novo tempo, as obras vivenciaram diariamente o sentido disto, estando expostas e contando o tempo.

“Cada tela foi pintada no momento exato de seu tempo. A obra “Ao tempo de vento” foi pintada num dia de muita ventania e sofreu algumas quedas durante o processo de pintura”, lembra a artista plástica Mary Dutra.

Além do momento da criação da pintura, sempre que o mesmo tempo acontecia novamente, as obras saíam para captá-lo. A obra da noite, dormiu mais de 20 vezes à luz do luar. A obra da chuva pegou repetidas tempestades.

                  “Tem obra que arde. Tem obra que chora. Só sai quando seu tempo se faz presente. Caiu. Dormiu às estrelas. Como está o tempo? Será que está bem? Obra sofre? Sente?”. Estes são alguns dos textos poéticos que definem esta seção da exposição.

O processo foi registrado e contabilizado pela artista e entrará em cartaz no Centro Cultural Correios, no Rio de Janeiro, do dia 05 de maio até 20 de junho. Além de pinturas, a mostra traz instalações, objetos, vídeos, sons e textos, criando uma atmosfera imersiva e reflexiva sobre como lidamos com nossos tempos. Um Instagram exclusivo (@sefoitempo) funcionará como uma extensão das obras, mostrando partes do processo que não estarão em exposição.

A mostra é dividida em três seções: ‘Ficou ao tempo’, ‘Passou o tempo’, e ‘O sentido do tempo é a desordem. Quanto falta para quebrar?’. Cada seção traz os textos escritos em máquina de escrever promovendo uma autorreflexão sobre como usamos ou desperdiçamos nossos tempos. “A minha intenção é que, ao ler os meus textos, a pessoa pense no seu próprio tempo”, completa a artista.

Com a curadoria da Tartaglia Arte de Roma, a exposição faz parte do projeto “Arte Contemporânea Feminina”, que contará com outras quatro exposições individuais de artistas mulheres ao mesmo tempo no Centro Cultural Correios. As mostras também contarão com tour virtual.

Serviço:

Exposição Individual “Se foi, tempo”

Artista: Mary Dutra

Instagram: @sefoitempo

Abertura: 05 de maio de 2021, às 19h

Período: de 05 de maio a 20 de junho de 2021

Local: Centro Cultural Correios – Rio de Janeiro – Sala Bistrô – Térreo

Endereço: Rua Visconde de Itaboraí, 20, Centro – RJ

Dias e horário: terça à sábado, das 12h às 19h – também contará com tour virtual

Curadoria: Tartaglia Arte de Roma

Projeto “Arte Contemporânea Feminina”

Entrada franca

Censura livre

Crédito Fotos: Karyme França e Abstrato Azul

Vanessa Neves: Jornalista, editora e analista de mídias sociais do Diário Carioca. Criadora de conteúdo, editora de imagens e editora de entretenimento do jornal.