Diário Carioca Google News

“Seduced: Inside the NXIVM Cult” leva os espectadores a um relato profundamente íntimo e em primeira pessoa sobre o grupo de autoajuda que se tornou o destrutivo culto do sexo NXIVM.

A série narra a jornada extraordinária e angustiante de Índia Oxenberg — filha da atriz hollywoodiana Catherine Oxenberg e descendente da realeza europeia — que foi seduzida para o culto moderno de escravidão sexual NXIVM.

  Aliás, mais de 17 mil pessoas, incluindo Índia, se inscreveram nos “Programas de Sucesso Executivo” da NXIVM, uma fachada para o culto e um campo de caça para seu líder, o predador sexual Keith Raniere. Mulheres no DOS, uma sociedade secreta de mestre-escravo dentro do NXIVM, eram vítimas de tráfico sexual e marcadas com ferro de cauterização.

“Seduced: Inside the NXIVM Cult” é um relato íntimo e angustiante em primeira pessoa da jornada de sete anos de Índia Oxenberg pelo inferno enquanto ela — como muitas outras jovens mulheres — foi atraída para as garras do líder do culto e predador sexual Keith Raniere,” disse Christina Davis, Presidente de Programação Original da Starz. “Esta é a primeira vez que Índia Oxenberg falará publicamente sobre sua experiência com os abusos do culto enquanto refaz seus passos, levando os espectadores para dentro da seita, encontrando-se com ex-membros, advogados, terapeutas e analistas do culto.”

Cecilia Peck e Inbal B. Lessner atuam como produtoras executivas junto a Daniel Voll, Alexandra Milchan e India Oxenberg. Peck também atua como diretora e Lessner como editor principal.

“Eu havia sido alvo de recrutamento pela NXIVM, então o assunto era de interesse pessoal”, disse Peck. “De muitas maneiras, Índia pode ser a filha de qualquer um. Ela era uma jovem mulher vitimada por um predador em série, e eu queria descobrir como essa garota de 19 anos foi doutrinada. Havia uma forma corajosa em sua abordagem que nos atraiu. ”

“A pergunta mais comum que as pessoas têm é ‘Por que ela não se levantou e foi embora quando ninguém a estava forçando a ficar?’”, acrescenta Lessner. “As mulheres corajosas que compartilharam suas histórias conosco lutaram contra a auto culpa e a vergonha por terem caído na armadilha desse culto. Todas as suas vozes foram fundamentais para contar uma história muito complexa, que esperamos que jogue luz sobre manipulação e coerção sistemáticas.”

Equipe de jornalistas e colaboradores do jornal Diário Carioca. Profissionais de comunicação que trazem as informações mais importantes do Brasil e do Mundo