No próximo domingo, dia 28/03, às 19h15, o programa “CNN Séries Originais”, comandado pelo jornalista Evaristo Costa, inicia a exibição da nova série “Transamazônica”. Dividida em cinco episódios, a nova série mostra como está a vida na rodovia Transamazônica 50 anos depois do início das obras. Pensada para ser um elo de ligação do norte com o nordeste do Brasil, a estrada, hoje, acumula histórias dramáticas.

“Histórias de resiliência, dificuldades e lutas constantes. É o que pudemos ver, ouvir e sentir sob o sol quente e tempestades de chuvas durante nossos 23 dias de viagem. Assim como a vida, aprendi que a Transamazônica é uma obra inacabada, mas cheia de histórias emocionantes e inspiradoras para nos contar”, destaca a repórter da CNN, Lígia Scalise.

No primeiro episódio, “A estrada de lama”, a série revela os problemas enfrentados por quem utiliza a estrada, como os buracos, a insegurança e os longos trechos sem asfalto e também faz uma viagem ao passado para contar a história de quem ajudou a construir a estrada e quem foram os primeiros habitantes da Transamazônica que foram iludidos com promessas do Governo de riqueza e educação.

Maria Ivonete da Silva, filha de um dos primeiros habitantes da região e, hoje, professora da Universidade Federal do Pará, faz parte das exceções da região Transamazônica. Hoje doutora pela Universidade Federal do Pará, ela lamenta o fato de que toda a riqueza prometida à época da construção ficou apenas na promessa e, agora, boa parte da população sofre com a falta dos elementos básicos para a sobrevivência, inclusive a educação. “A educação é um grande instrumento de transformação e nessa região ainda falta muito. Nós temos menos de 2% de pessoas no ensino superior, em uma região com cerca de 400 mil habitantes”, desabafa Netinha.

O “CNN Séries Originais” mostra mais a fundo a situação atual da região e, também, da própria Rodovia Transamazônica que, dos seus 1.440 quilômetros de extensão, ainda permanece com um terço da estrada sem asfalto. Realidade que assola e assombra o dia a dia de quem sobrevive percorrendo o trecho. “Você quer sofrimento, vai para a Transamazônica”, diz o motorista de caminhão Rogério Batista, que é endossado pelo colega de profissão, Eduardo dos Santos Pereira: “A gente sai de casa e não sabe quando volta. E se volta, né? A verdade é essa!”.

Além da situação estrutural, a nova série da CNN também mostra a realidade da segurança local, junto a uma operação da Polícia Rodoviária Federal em um dos trechos mais importantes da Rodovia Transamazônica. Ao lado dos oficiais, a equipe de reportagem da CNN registrou flagrantes de caminhões com carregamentos de madeira fora do que é permitido por lei.

A atração comandada por Evaristo Costa também exibe a estreia do documentário especial: “O Labirinto do Sexo”. Em três episódios, a nova série aborda um tema que, muitas vezes, ainda é tratado como tabu pelos brasileiros: o sexo. Os repórteres da CNN fazem uma viagem no tempo para contar como se dá a relação do brasileiro com o sexo, desde a chegada dos portugueses.

O primeiro episódio: “Uma viagem no tempo” traça a linha do tempo do imaginário do sexo no Brasil e destaca que Dom Pedro I era uma figura bastante controversa no que se dizia respeito ao sexo. Com suas várias amantes, ele já exemplificava a figura do marido infiel e machista. Nessa linha do tempo, a série passa por Nelson Rodrigues e pelas pornochanchadas, que ajudaram a moldar a relação do brasileiro com o sexo.

A equipe de reportagem da CNN entrevistou duas atrizes de pornochanchadas. Entre elas, Vera Fischer. Também falou com historiadores e sexólogos para rechear o programa com informações e outras histórias.

O “CNN Séries Originais” vai ao ar neste domingo, dia 28/03, às 19h15.

Redação do Diário Carioca

Equipe de jornalistas e colaboradores do jornal Diário Carioca. Profissionais de comunicação que trazem as informações mais importantes do Brasil e do Mundo