Diário Carioca Google News

Jorja Smith - Foto: Liz Johnson Arthur
Jorja Smith - Foto: Liz Johnson Arthur

Jorja Smith está oficialmente de volta. Após os elogiados singles “Try Me” e “Little Things”, ela confirmou o lançamento de seu aguardado segundo álbum, “falling or flying”, para 29 de setembro por seu próprio selo, FAMM.

Faça o pré save de “falling or fyling” aqui: https://famm.orcd.co/fallingorflying

Advertisement

Assista ao clipe “Little Things”: https://youtu.be/hqtDXcwX61I

Assista ao clipe “Try Me”: https://youtu.be/gUn6i9bfdRA

Reconhecida por uma visão única e cheia de personalidade do R&B, unindo pop, alternativo, jazz e sensualidade, Jorja traz no novo álbum uma declaração de que sua compreensão da vida, seus relacionamentos e seus sentimentos se aprofundaram e amadureceram à medida que ela completa 26 anos. “E, apesar de tudo”, diz ela, “é definitivamente uma jornada que acabei de começar. Isso é o que é louco. Ela está apenas começando”.

Composto por uma batidas profundas e vibrantes, linhas de baixo aceleradas e ganchos irresistíveis, “falling or flying” segue o mesmo ritmo da mente de Jorja. “Eu não desacelero o suficiente”, diz ela. “Esse álbum é como meu cérebro. Há sempre muita coisa acontecendo, mas cada música é definitivamente um momento de paralisação”.

Grande parte da energia criativa que moldou o álbum surgiu de sessões de estúdio com a dupla de produtores DAMEDAME* na cidade natal de Jorja, Walsall. O álbum é um passeio sonoro por suas emoções nos dois anos desde que lançou seu último trabalho, “Be Right Back”. “Ele fala sobre rompimentos, relacionamentos com meus amigos, velhos amigos, comigo mesma. É definitivamente sobre muitos relacionamentos, mas posso cantar cada música que escrevo para mim mesma”, conta a artista.

Uma das principais novas vozes britânicas, Jorja Smith quer se reinventar e se desafiar para além de sua reputação elogiada como intérprete e compositora, por conseguir colocar emoções à flor da pele. Há pouco mais de cinco anos desde o aclamado álbum “Lost & Found”, e ao respiro que foi o EP “Be Right Back”, ela reflete sobre sua jornada.

“O EP fez exatamente o que eu queria: foi uma espécie de sala de espera para que as pessoas soubessem que logo eu estaria de volta”, resume ela, que tem um público fiel no Brasil, com São Paulo sendo a terceira cidade no mundo que mais consome sua música.

Jorja Smith
Jorja Smith

Nessa nova fase, a artista se reconectou consigo mesma como compositora e mulher, e mostrou postura e sonoridade renovadas. “Gosto desse mundo em que acabei de entrar, e estou sempre descobrindo coisas. Essa é a primeira vez que lanço algo que sinto que se conecta exatamente com o presente”, diz ela. Uma coisa é certa: embora “falling or flying” soe muito como Jorja Smith, não se parece com nenhum álbum de Jorja Smith que você já tenha ouvido antes.

Equipe de jornalistas, colaboradores e estagiários do Jornal DC - Diário Carioca

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *