27.1 C
Los Angeles
sexta-feira, outubro 7, 2022

Feira Rio Antigo recebe Lavradio Musical e Literário

A tradicional Feira Rio Antigo, Patrimônio Imaterial Cultural do Estado do Rio, realizada todos os sábados, das 10h às 19h, na Rua do Lavradio

Hilton Copacabana terá programação especial em outubro

Com o letreiro na cor rosa, em alusão à campanha de conscientização sobre o câncer de mama, o Hilton Rio de Janeiro Copacabana terá boas opções de gastronomia e entretenimento durante o mês de outubro. 

Michael Rodrigues e Daniella Rosas chegam as quartas de final do EDP Vissla Pro Ericeira

O brasileiro Michael Rodrigues e a peruana Daniella Rosas, já estão nas quartas de final do EDP Vissla Pro Ericeira em Portugal
InícioPolíticaPaulo Guedes deixa entrevista após questão sobre piso da enfermagem; Tabata pede voto em Lula

Paulo Guedes deixa entrevista após questão sobre piso da enfermagem; Tabata pede voto em Lula

O ministro da Economia, Paulo Guedes, abandonou a gravação de uma entrevista ao jornalista Luís Ernesto Lacombe nos estúdios da RedeTV! quando perguntado sobre o piso salarial da enfermagem. Irritado, Guedes arrancou o microfone que estava preso à roupa e abandonou o estúdio, segundo a colunista Cristina Padiglione, da Folha de S. Paulo. 

O episódio, segundo a colunista, aconteceu na tarde da última quarta-feira (21). A entrevista seria veiculada em uma das edições do programa Agora com Lacombe, que vai ao ar de madrugada. O ministro teria dito, ainda, que não queria que fossem usadas as respostas que ele já tinha gravado até aquele momento.

Apoiador de Bolsonaro, o jornalista não queria fazer a pergunta sobre o piso da categoria da saúde, mas teria sido pressionado pela chefia a colocar o assunto em discussão com o ministro, de acordo com a coluna da Folha.

O tema está em alta em Brasília. Sancionado em agosto, o piso da enfermagem foi suspenso no dia 4 de setembro pelo ministro Luís Roberto Barroso, do Supremo Tribunal Federal (STF), que deu prazo de 60 dias para que estados, municípios e entidades do setor privado expliquem o impacto econômico da nova legislação. A mobilização da categoria segue firme, tanto na capital federal quanto em outros pontos do país.

Tabata declara voto em Lula para derrotar Bolsonaro

A deputada federal e candidata à reeleição Tabata Amaral (PSB) anunciou nesta quinta (22) que vai votar em Luiz Inácio Lula da Silva (PT) no primeiro turno das eleições presidenciais, e pediu votos para o petista. Companheira de partido do vice de Lula, Geraldo Alckmin (PSB), ela foi às redes sociais chamar os seguidores para “fechar a fatura já no primeiro turno”.

“Eu refleti muito antes de gravar esse vídeo, mas entendi que era necessário que eu viesse aqui fazer um pedido para vocês. Precisaremos colocar a democracia em primeiro lugar e convencer o máximo de pessoas possíveis a votarem, já no primeiro turno, na única chapa que tem condições reais de derrotar Bolsonaro, que é a [chapa] composta por Lula e Alckmin”, pontuou.


Deputada do PSB foi às redes sociais pedir votos para a chapa Lula/Alckmin / Reprodução / Redes sociais

Tabata, que se candidatou e foi eleita pelo PDT em 2018, apoiou Ciro Gomes, do mesmo partido, nas eleições daquele ano. Ao declarar o voto em Lula, ela relembrou o apoio que deu a Ciro quatro anos atrás, e disse que a motivação para as escolhas é a mesma: entender que Lula, em 2022, é o único com condições e derrotar Bolsonaro, assim como, para ela, Ciro era quem tinha chances de vencer o bolsonarismo no último pleito.

Aproveitando a proximidade que tem com os apoiadores de Ciro ela afirmou que os apoiadores do pedetista são aqueles que podem ajudar a “virar o jogo” e decidir a eleição já em 2 de outubro.

“Primeiro, porque ele [Ciro] é o terceiro colocado nas pesquisas, mas também porque os eleitores de Ciro são os que têm mais chances de votar em Lula e Alckmin”, complementou.

Governo bloqueia R$ 2,6 bi do orçamento às portas da eleição

A dez dias do primeiro turno das eleições presidenciais, o Ministério da Economia anunciou nesta quinta-feira (22) o bloqueio de R$ 2,63 bilhões no orçamento deste ano. Não foram detalhadas as áreas onde as restrições serão colocadas.

O objetivo do bloqueio, que foi divulgado no relatório de receitas e despesas do orçamento deste ano, é cumprir a regra do teto de gastos. Um decreto presidencial, que sai até o fim do mês, determinará as áreas onde serão feitos cortes.

Segundo o G1, o secretário de Tesouro e Orçamento do Ministério da Economia, Esteves Colnago, disse que os bloqueios serão feitos nas despesas livres, que estão entre R$ 19 bilhões e R$ 20 bilhões. Deste valor, R$ 3,8 bilhões são destinadas às emendas de relator, também conhecidas como orçamento secreto.

Com o novo contingenciamento confirmado nesta quinta, o total de recursos bloqueados no ano chegou a R$ 10,5 bilhões.

Após nota de FHC, PSDB reafirma apoio a Simone Tebet

Poucas horas depois de o ex-presidente Fernando Henrique Cardoso defender voto “pró-democracia” – sem citar nomes, mas destacando pautas que fazem parte da agenda de candidaturas de esquerda –, o partido pelo qual ele se elegeu presidente por duas vezes reafirmou o apoio a Simone Tebet (MDB).

Usando a mesma plataforma escolhida pelo ex-presidente para postar a nota, o Twitter, o PSDB disse que “tem candidata e vai lutar até o final para elegê-la: Simone Tebet”. A chapa da emedebista tem a senadora tucana Mara Gabrilli (PSDB-SP) como candidata a vice.

O PSDB tem candidata e vai lutar até o final para elegê-la: Simone Tebet, e a nossa senadora Mara Gabrilli. Representam o melhor caminho para o Brasil. Primeiro turno é para votar no melhor. Útil é votar em quem a gente confia.

— PSDB 🇧🇷 (@PSDBoficial) September 22, 2022 Na nota divulgada mais cedo nesta quinta-feira, FHC disse que defende o voto “em quem tem compromisso com o combate à pobreza e à desigualdade, defende direitos iguais para todos independentemente da raça, gênero e orientação sexual, se orgulha da diversidade cultural da nação brasileira, valoriza a educação e a ciência e está empenhado na preservação de nosso patrimônio ambiental, no fortalecimento das instituições que asseguram nossas liberdades e no restabelecimento do papel histórico do Brasil no cenário internacional”.

Edição: Rodrigo Durão Coelho


Notícias recomendadas

Leia sobre outros assuntos:

Notícias mais lidas