Diário Carioca Google News

Planejar o nascimento de uma criança é uma prática que demanda muita organização por parte de um casal. Em algumas situações, a exatidão da data pode ser uma preocupação real, especialmente para aqueles que querem controlar, inclusive, o signo do bebê dentro do horóscopo. Em um mundo que valoriza partos normais e humanizados, ainda há pais dispostos a programar cesarianas em razão dos astros.

O desejo por um determinado signo astrológico para o futuro filho não é de hoje. Vez ou outra, celebridades aparecem na mídia por anunciarem suas preferências. No ano de 2020, a médica Ramona Novais publicou em suas redes sociais que seu marido, o DJ Alok, gostaria que seu primeiro filho nascesse antes do previsto, para que viesse com o signo de Capricórnio e não Aquário. A declaração gerou diversos memes envolvendo o casal. 

Em 2014, o caso foi ainda mais sério. A atriz Ana Paula Tabalipa decidiu, em conjunto com o seu médico, antecipar o parto de seu quarto filho para que ele não nascesse no signo de Virgem e sim no de Leão. Com essa decisão, o bebê nasceu prematuro e precisou ficar alguns dias em terapia intensiva, tornando a atriz alvo de críticas. Mesmo com a escolha, Ana Paula Tabalipa não evitou a forte presença de virgem no mapa astral da criança, já que mesmo nascendo com o Sol em Leão, como ela desejava, o bebê teve seu ascendente e Lua no signo de Virgem. 

Cuidados ao planejar o signo do bebê 

A decisão de planejar o signo do bebê é um tema controverso. Enquanto algumas pessoas apoiam e consideram a atitude normal, para outras a escolha pode ser egoísta e não eficiente. Entretanto, é necessário tomar alguns cuidados para que não se coloque a saúde do bebê em risco e também para que a decisão não tenha sido tomada em vão. 

Risco na saúde do bebê 

Com base na história da atriz Ana Paula Tabalipa, é possível notar que nem sempre antecipar a chegada de uma criança pode ser algo simples. Um parto com muita antecedência pode fazer com que o bebê nasça prematuro. 

Segundo o Ministério da saúde, a prematuridade atinge 340 mil bebês brasileiros todos os anos. Dados do Sistema de Mortalidade (SIM) apontam que 55% dos óbitos infantis poderiam ser evitados a partir da atenção à gestação, ao parto e ao recém-nascido. 

Por esse motivo, é importante sempre consultar o médico e verificar os perigos que a decisão pode trazer para a saúde do bebê. Além disso, há riscos para a saúde da mãe. Os nove meses de gestação são importantes para que o corpo da mulher se prepare para a chegada de um filho; antecipar o ciclo pode trazer problemas.

Preconceito astrológico

Boa parte da ideia de se escolher o signo dos filhos tem relação com o que se pode chamar de preconceito astrológico. Pontos negativos de determinados signos solares são colocados em evidência e contrabalanceados com pontos positivos de signos temporalmente próximos.  

Entretanto, é importante ter em mente que os pontos positivos e negativos existem nas pessoas, independente do zodíaco. Além disso, muitos astrólogos defendem que aspectos negativos de um signo devem ser explorados para que não prevaleçam no decorrer da vida.

Se o desejo de planejar o signo de um bebê for realmente forte, é indicado procurar um profissional da área da astrologia para orientar e explicar de forma mais profunda as características específicas de cada signo do zodíaco. 

Planejas signo solar pode não ser suficiente

O signo solar, nesses casos, é a principal preocupação dos futuros pais, que muitas vezes esquecem que um mapa astral é formado por diversas outras posições, sendo duas delas mais conhecidas: a Lua e o ascendente.

O ascendente é descoberto através do horário do nascimento e é representado pelo signo que estava cruzando a linha do horizonte ao leste naquele momento. Ele expressa a primeira impressão que alguém reproduz. Já a posição da Lua revela emoções e sentimentos. Além disso, há a presença de vários outros planetas no mapa astrológico que vão dizer muito sobre a personalidade de uma pessoa. 

Por esse motivo, muitos astrólogos defendem que não é possível analisar o mapa de alguém que ainda não nasceu, uma vez que as posições dos astros variam bastante conforme o horário. Entretanto, se ainda assim esse assunto for realmente um fator importante, é necessário ter em mente que existem outros aspectos astrológicos tão importantes quanto o signo solar. 

Gestação planejada e signo do bebê

Nos casos de Ramona Novais e Ana Paula Tabalipa, o desejo ou a decisão para o signo do filho aconteceram após a descoberta da gravidez, o que poderia apresentar algum risco para a saúde da mãe e do bebê. 

Entretanto, há uma forma mais segura para aumentar as chances de um filho nascer em um determinado mês ou período do ano. Em gestações planejadas, é possível estabelecer a data momento da concepção, visando programar o período do nascimento. Dessa forma, também torna-se possível escolher o signo da criança. 

Nesses casos, algumas datas podem ser úteis para se planejar, mas nunca totalmente certeiras. Além disso, cada gestação está sujeita a diferentes condições e, com isso, o nascimento pode acontecer antes ou depois do programado pelos pais. 

Confira algumas datas de referência.

Bebê de Áries (21 de março a 19 de abril). Datas da concepção: 25 de junho a 15 de julho.

Bebê de Touro (20 de abril a 20 de maio). Datas da concepção: 25 de julho a 15 de agosto.

Bebê de Gêmeos (21 de maio a 20 de junho). Datas da concepção: 25 de agosto a 15 de setembro.

Bebê de Câncer (21 de junho a 22 de julho). Datas da concepção: 25 de setembro a 15 de outubro

Bebê de Leão (23 de julho a 22 de agosto). Datas da concepção: 25 de outubro a 15 de novembro 

Bebê de Virgem (23 de agosto a 22 de setembro). Datas da concepção: 25 de novembro a 15 de dezembro 

Bebê de Libra (23 de setembro a 22 de outubro). Datas da concepção: 25 de dezembro a 15 de janeiro

Bebê de Escorpião (23 de outubro a 21 de novembro). Datas da concepção: 25 de janeiro a 15 de fevereiro

Bebê de Sagitário (22 de novembro a 21 de dezembro). Datas da concepção: 25 de fevereiro a 15 de março 

Bebê de Capricórnio (22 de dezembro a 19 de janeiro). Datas da concepção: 25 de março a 15 de abril 

Bebê de Aquário (20 de janeiro a 18 de fevereiro). Datas da concepção: 25 de abril a 15 de maio 

Bebê de Peixes (19 de fevereiro a 20 de março). Datas da concepção: 25 de maio a 15 de junho

Redação do Diário Carioca

Equipe de jornalistas e colaboradores do jornal Diário Carioca. Profissionais de comunicação que trazem as informações mais importantes do Brasil e do Mundo

Deixe um comentário

Deixe uma resposta