A instabilidade econômica na Turquia, que trocou de presidente do Banco Central, e as preocupações com a pandemia de covid-19 influenciaram os mercados em todo o planeta. No Brasil, o dólar anulou uma sequência de quatro dias seguidos de baixa e voltou a subir, fechando acima de R$ 5,50. Afetada pela desconfiança em relação aos países emergentes, a bolsa caiu.

O dólar comercial encerrou esta segunda-feira (22) vendido a R$ 5,518, com alta de R$ 0,033 (+0,59%). A divisa operou em alta durante toda a sessão, chegando a R$ 5,54 durante a manhã. Após a divulgação de que a arrecadação de fevereiro superou a expectativa de mercado, a divisa desacelerou para R$ 5,50, mas voltou a ganhar força na hora final de negociação.

Bolsa 

No mercado de ações, o dia foi marcado pela turbulência. O índice Ibovespa, da B3, operou em baixa durante toda a sessão. Apesar de uma reação durante a tarde que reduziu o ritmo de queda, o indicador fechou o dia aos 114.979 pontos, com recuo de 1,07%.

A mudança de comando no Banco Central da Turquia, anunciada ontem (21), interferiu nos mercados emergentes. A lira turca perdeu 10% do valor nesta segunda, após o presidente Recep Tayyip Erdogan anunciar a troca de um presidente que aumentou os juros e tentou conter a desvalorização da moeda local por um substituto que recentemente criticou o uso dos juros para conter a inflação.

Paralelamente, o recrudescimento da covid-19 em diversos países também abalou o mercado financeiro internacional. O anúncio de novas medidas de restrição social na Europa derrubou as previsões de crescimento econômico global em 2021. As cotações internacionais do petróleo, que caíram nos últimos dias, ficaram estáveis nesta segunda-feira.

* Com informações da Reuters

Agência Brasil

Agência Brasil é uma agência pública de notícias da EBC. Informações sobre política, economia, educação, direitos humanos e outros assuntos.