A capital japonesa celebrou nesta quarta-feira (14.04) o marco de 100 dias para a Abertura dos Jogos Olímpicos de Tóquio, que estão agendados para o período entre 23 de julho e 8 de agosto. Apesar do tempo nublado e chuvoso, o Comitê Tóquio 2020 e autoridades locais marcaram a data com a revelação dos aros olímpicos e uma cerimônia religiosa no Monte Takao, um dos cenários icônicos da cidade, e com um evento festivo envolvendo a inauguração de estátuas dos mascotes olímpicos e paralímpicos (Miraitowa e Someity) na região central da capital.
Foto: Tokyo 2020

“A presença do Governo Federal por meio do Bolsa Atleta tem sido indispensável para garantir que nossos atletas possam focar exclusivamente em sua preparação e nos treinamentos. Nossa expectativa é que eles possam sempre desempenhar o melhor em todas as competições, em especial nos Jogos Olímpicos, que são a principal vitrine do esporte mundial”

Marcelo Magalhães, secretário Especial do Esporte do Ministério da Cidadania

“No último ano, os atletas ao redor do mundo mantiveram a fé e continuaram a treinar mesmo diante de desafios enormes impostos pela pandemia do novo coronavírus”, afirmou o Seiko Hashimoto, presidente da Tóquio 2020. “Os Jogos serão uma celebração da resiliência, da solidariedade e da noção de humanidade compartilhada. O mundo enfrentou uma crise sem precedentes e os Jogos de Tóquio têm o compromisso de oferecer uma luz de esperança neste verão”, completou.
“Nós esperamos que os Jogos de Tóquio sejam símbolo de uma recuperação sustentável. Precisamos ser meticulosos e ousados ao mesmo tempo para nos preparar para os Jogos”, afirmou a governadora de Tóquio, Yuriko Koike.
Até agora, o Brasil tem garantidas 200 vagas, em 23 modalidades, na competição que foi adiada para 2021 em função da pandemia. Entre essas 200 vagas, 43 já têm nome e sobrenome definidos. As demais dependem de convocações ou confirmações das confederações esportivas.
Dos 43 confirmados, 39 (90,6%) são integrantes do Bolsa Atleta, da Secretaria Especial do Esporte do Ministério da Cidadania. São 31 da categoria Pódio, a principal do programa, com repasses mensais de R$ 5 mil a R$ 15 mil, além de cinco da categoria Olímpica e três da Internacional.
No ciclo que se iniciou com o fim dos Jogos Rio 2016, o investimento do Governo Federal nesses 39 bolsistas supera os R$ 16 milhões. Quando se leva em conta as 23 modalidades contempladas com vagas, o aporte federal no mesmo período é de mais de R$ 164 milhões.

“A presença do Governo Federal por meio do Bolsa Atleta tem sido indispensável para garantir que nossos atletas possam focar exclusivamente em sua preparação e nos treinamentos. Nossa expectativa é que eles possam sempre desempenhar o melhor em todas as competições, em especial nos Jogos Olímpicos, que são a principal vitrine do esporte mundial”, afirmou o secretário Especial do Esporte do Ministério da Cidadania, Marcelo Magalhães.
A estimativa do Comitê Olímpico do Brasil é que o país chegue à capital japonesa com uma delegação de cerca de 250 atletas. Nos Jogos Rio 2016, a campanha dos atletas nacionais terminou com 19 pódios. Foram sete medalhas de ouro, seis de prata e outras seis de bronze.

Diretoria de Comunicação – Ministério da Cidadania, com informações de Tokyo 2020

 

Equipe de jornalistas e colaboradores do jornal Diário Carioca. Profissionais de comunicação que trazem as informações mais importantes do Brasil e do Mundo