Diário Carioca Google News

gaucho-samory-uiki-obtem-indice-olimpico-no-salto-em-distancia

Atleta foi o destaque da 2ª etapa do Torneio Cidade de Bragança Paulista. Ele registrou 8,23m, superando a marca mínima exigida para ir aos Jogos Olímpicos de Tóquio em 1 cm

O gaúcho Samory Uiki Bandeira Fraga (Sogipa) foi o principal destaque da segunda etapa do Torneio Cidade de Bragança Paulista – Capital Nacional do Atletismo, que termina neste domingo (25.04), no Centro Nacional de Desenvolvimento do Atletismo (CNDA), em Bragança Paulista (SP). Ele venceu neste sábado (24.04) a prova do salto em distância, com 8,23m. Com isso, superou em 1 cm o índice exigido pela World Athletics para os Jogos Olímpicos de Tóquio.

Samory ao lado da marca que valeu o passaporte para Tóquio. Foto: Wagner Carmo/CBAt

Ele comemorou muito a marca e o desempenho na competição. Afinal, saltou três vezes acima dos 8 metros: 8,09m na terceira tentativa, 8,23m na quarta, e 8,06m na quinta. O paranaense Alexsandro Melo (CT Maranhão), qualificado para a Olimpíada no salto triplo, ficou em segundo, com 7,99m.

“Minha melhor marca era de 7,93m, no Troféu Brasil de 2020. Hoje, saltei três vezes acima dos 8 metros pela primeira vez na vida em uma competição”
Samory Uiki
“Minha melhor marca era de 7,93m, obtida no Troféu Brasil de 2020. Hoje, saltei três vezes acima dos 8 metros pela primeira vez na vida em uma competição”, lembrou, empolgado. “Já tinha tentado saltar bem no último fim de semana, no torneio da Federação Paulista de Atletismo, aqui em Bragança, mas a chuva atrapalhou a prova.”

Samory lembrou os bons treinos recentes feitos. “Eu vinha de uma consistência boa, mas faltava sair a marca numa competição. Eu queria ir ao Sul-Americano e achava que iria saltar bem, mas fui surpreendido com o índice. E fui consistente. Agora é repensar a temporada e focar nos Jogos Olímpicos, para estar no auge em Tóquio”, disse o atleta, que terá de adiar os planos de fazer mestrado e doutorado nos Estados Unidos e frequentar uma universidade especializada em esportes com uma bolsa em Sochi, na Rússia.

Samory é um nome inspirado num herói africano e Uiki significa mel em urubá, dialeto nigeriano. Os pais, gaúchos, Dalmir e Carla, quiseram resgatar a ancestralidade africana ao dar o nome ao filho. Samory tem 24 anos e é formado em Relações Internacionais pela Universidade de Kent State, em Ohio.

O treinador José Haroldo Loureiro Gomes, o Arataca, também comemorou muito o resultado de seu atleta, que treina na Sogipa, em Porto Alegre. “Viemos aqui pela vaga para o Sul-Americano, porque seria decisivo para os pontos no ranking olímpico. Agora, vamos ter tranquilidade e trabalhar especificamente para os Jogos de Tóquio”, disse Arataca, que agradeceu ao seu assistente Fabrício Romero, ao tutor Kiyoshi Takahashi, à equipe interdisciplinar que trabalha com seus atletas e ao “inegável apoio do Almir Junior”, companheiro de treino de Samory, já qualificado para a Olimpíada no salto triplo.

Outras provas

Nos 400m, Lucas da Silva Carvalho (FECAM-PR) venceu com 46s13. “Gostaria de ter corrido melhor, mas um vento contra na reta atrapalhou um pouco. Queria correr abaixo de 46s. Meu objetivo é ir bem no Sul-Americano e tentar ganhar muitos pontos para o ranking e me colocar nos Jogos”, comentou o bicampeão brasileiro da prova, que retornou ao Brasil na terça-feira (20/4), depois de participar do Camping Internacional de Chula Vista, nos Estados Unidos. Alexander Russo (Orcampi) ficou em segundo lugar, com 46s88, seguido de Max Paulo Oliveira dos Santos (MEM), com 47s21.

Nas barreiras dois ótimos resultados. Eduardo de Deus (CT Maranhão), qualificado para a Olimpíada, venceu os 110m, com 13s41 (1.1), enquanto Ketiley Batista (ASPMP) ganhou os 100m com 13s, recorde pessoal. Os dois lideram o Ranking Brasileiro de 2021 e asseguraram lugar na seleção brasileira que irá à Argentina.

Fonte: Confederação Brasileira de Atletismo

Mais Noticias

Equipe de jornalistas e colaboradores do jornal Diário Carioca. Profissionais de comunicação que trazem as informações mais importantes do Brasil e do Mundo