Homem negro morre após ser espancado na unidade do Carrefour em Porto Alegre

Um homem negro foi espancado e morreu em decorrência das agressões na noite desta quinta-feira (11) em uma unidade do supermercado Carrefour em Porto Alegre, no Rio Grande do Sul.

João Alberto Silveira Freitas, de 40 anos, foi agredido por um policial militar e por um segurança da loja. Ambos foram presos em flagrantes e são investigados por homicídio qualificado.

Segundo a Brigada Militar, como é chamada a corporação do Rio Grande do Sul, como agressões após um desentendimento entre uma vítima fatal e uma funcionária do local. Freitas ameaçado bater na funcionária, que acionou a segurança.

:: Seis vezes em que o Carrefour atuou com descaso e violência ::

De acordo com imagens que circulam amplamente nas redes sociais , elemento sido levado para a entrada da loja e critério, conforme a Polícia Civil, iniciado o conflito. Logo depois, se tornado alvo do espancamento pelos outros dois homens.

Após uma série de socos e chutes, o homem, desacordado, foi socorrido por uma equipe do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (SAMU), que tentou reanimá-lo sem sucesso.

O racismo que estrutura as relações de nossa sociedade precisa ser enfrentado de frente. As mulheres e homens querem assumir a responsabilidade na luta antirracista. Quantos Betos? Qual pessoa branca você viu ser vítima dessa violência ??

– Manuela 65 (@ManuelaDavila) Novembro 20, 2020

O crime está sendo investigado pela Delegacia de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP) de Porto Alegre. Vídeos gravados por transeuntes e imagens das câmeras de segurança do Carrefour front.

A BM informou que o PM planeja na agressão é “temporário” e estava fora do horário de trabalho. Em nota , o Carrefour afirmou que adotará as medidas cabíveis para responsabilizar os executivos e definiu o ato como criminoso.

A rede disse ainda que romperá do contrato com a empresa que responde pelo segurança que cometeu a agressão.

“O funcionário que estava no O comando da loja no momento do incidente será ativado. Em respeito à vítima, a loja será fechada. Entraremos em contato com a família do senhor João Alberto para dar o suporte necessário ”, diz

trecho do comunicado.

O Carrefour declara ainda que iniciou rigorosa apuração interna do caso. “Para nós, nenhum tipo de violência e intolerância é admissível, e não aceitamos que situações como estas aconteçam. Estamos profundamente consternados com tudo que aconteceu e acompanhamentoemos os desdobramentos do caso, oferecendo todo suporte para as autoridades locais ”.

Entretanto, o supermercado carrega um histórico de violência e descaso envolvendo os clientes e os funcionários próprios.

Em agosto, por exemplo, um promotor de vendas do Carrefour morreu enquanto trabalhava em uma unidade do grupo, em Recife (PE). O corpo de Moisés Santos, de 40 anos, foi coberto com guarda-sóis e cercado por caixas, para que a loja seguisse em funcionamento e permaneceu no local entre 8h e 19 h, até ser retirado pelo Instituto Médico Legal (IML).

Outros casos de racismo, violações trabalhistas e agressões contra animais também são episódios ligados ao supermercado.

Edição: Leandro Melito


Total
0
Shares
Previous Article

No Curta!, documentário mostra arte e a técnica do icônico arquiteto brasileiro Vilanova Artigas

Next Article

Smithsonian Channel produz série sobre os vikings em formato inovador

Related Posts
Porno Gratuit Porno Français Adulte XXX Brazzers Porn College Girls Film érotique Hard Porn Inceste Famille Porno Japonais Asiatique Jeunes Filles Porno Latin Brown Femmes Porn Mobile Porn Russe Porn Stars Porno Arabe Turc Porno caché Porno de qualité HD Porno Gratuit Porno Mature de Milf Porno Noir Regarder Porn Relations Lesbiennes Secrétaire de Bureau Porn Sexe en Groupe Sexe Gay Sexe Oral Vidéo Amateur Vidéo Anal