Diário Carioca Google News

jardine-faz-misterio-sobre-o-time-que-enfrenta-a-alemanha-na-estreia-do-brasil-no-futebol-masculino

Reedição da final dos últimos Jogos Olímpicos será nesta quinta-feira (22.07), no Estádio de Yokohama, mesmo palco do título do Brasil na Copa de 2020 diante dos alemães

O técnico André Jardine faz os preparativos finais para a estreia da Seleção Brasileira nos Jogos Olímpicos. Na véspera do jogo contra a Alemanha, o treinador exaltou o confronto, que repete o duelo da final da Olimpíada do Rio 2016. A Seleção Brasileira inicia sua caminhada olímpica no Japão nesta quinta-feira (22.07), às 8h30 (horário de Brasília).

A partir será disputada no Estádio Internacional de Yokohama, o mesmo lugar onde o Brasil conquistou o título da Copa do Mundo pela última vez, no Mundial de 2002, quando, coincidentemente, venceu a Alemanha na decisão. O ministro da Cidadania, João Roma, representante do Governo Brasileiro na abertura dos Jogos Olímpicos de Tóquio, desembarcou nesta quarta-feira (21.07) na capital japonesa e acompanhará o duelo do estádio para prestigiar a Seleção Brasileira.

O técnico André Jardine: diferentes formações ao longo da competição. Foto: Lucas Figueiredo/CBF
Em entrevista coletiva nesta quarta-feira (21.07), Jardine lembrou a importância da rivalidade entre Brasil e Alemanha e falou sobre a honra de escrever mais um capítulo neste confronto.

“É um grande clássico mundial, uma partida que tem uma história maravilhosa e é uma honra para todos nós poder fazer parte dessa história. O principal é poder coroar uma abertura de Jogos Olímpicos para a gente com um jogo dessa magnitude. A gente fica realmente muito honrado. Vai ser um dia além de desfrutar de um jogo, da gente realmente escrever mais uma página na história desse confronto e uma página que seja brasileira”, afirmou Jardine.

Perguntado sobre o time que levará a campo diante da Alemanha, Jardine fez mistério, mas ressaltou a importância de trabalhar o grupo todo coletivamente. O treinador da Seleção disse que achará a formação ideal a cada partida, de acordo com seus adversários.

“Podemos, durante a competição, surpreender, encontrar alternativas diferentes, melhores estratégias. Vamos realmente pensar jogo a jogo. Para esse jogo, a gente optou pra uma formação que vai nos dar bastante força na frente, que vai nos dar também um poder muito grande de marcação e entendemos que é a formação ideal para esse jogo contra a Alemanha”, ponderou.

O técnico também comentou o trabalho realizado nos últimos dias, com os treinos em território japonês, e citou o desafio de encontrar a equipe ideal com o pouco tempo com o grupo completo à sua disposição.

“A gente teve que aproveitar os poucos treinamentos com o grupo completo. Então, a estratégia foi realmente tentar entrosar o máximo essa equipe que a gente entende ser a equipe ideal para o início do jogo. É muito comum e muito frequente, nessas competições, as equipes que começam não terminarem a competição. Em especial uma seleção como a nossa, com o grupo qualificado que tem”, analisou Jardine.

Daniel Alves

Prestes a estrear na competição, Daniel Alves não esconde a felicidade por defender a Seleção Brasileira nos Jogos Olímpicos. Capitão brasileiro, o lateral participou da entrevista coletiva oficial do duelo com a Alemanha e falou sobre a expectativa para seu primeiro jogo com a Seleção na Olimpíada.

Ao valorizar a chance dada pelo técnico André Jardine, Daniel Alves lembrou que já esteve perto de disputar a Olimpíada em outras duas oportunidades. Dessa vez, no entanto, o sonho se tornou realidade e o lateral quer levar toda sua gratidão para dentro de campo.

“Poder estar aqui é muito especial para mim. Bati na trave duas vezes e na terceira aconteceu. Estou muito grato pela confiança e pelo respeito ao trabalho construído durante toda minha carreira”, disse Dani Alves.

Um dos maiores vencedores da história do futebol, Daniel Alves quer adicionar um título inédito à sua sala de troféus. O ouro olímpico é uma obsessão para o atleta, que garante: pode até ter 38 anos e ser o mais velho da turma, mas tem a ambição e o espírito de um garoto.

“Eu como todo mundo conhece, sou uma pessoa que tem um espirito muito jovem, então, independentemente da história que se tenha a primeira vez ela é sempre muito especial e estamos aqui em igualdade de experiência a grande maioria, porque nunca participamos de um evento tão gigantesco e tão importante como esse. Espero estar à altura não só da competição como também da minha seleção”, concluiu.

Fonte: Confederação Brasileira de Futebol

Newsletter

Mais Noticias

Lo que no dicen de Cuba

No empezó con Biden, hay que decir. Desde el 2017 vienen martillando la falacia de un estallido social en Cuba con su solución mágica, la “intervención humanitaria”

Redação do Diário Carioca

Equipe de jornalistas e colaboradores do jornal Diário Carioca. Profissionais de comunicação que trazem as informações mais importantes do Brasil e do Mundo