24 C
Rio de Janeiro
sábado, novembro 28, 2020
- Publicidade -

Mais de 1% da população mundial sofre com deslocamento forçado

- Publicidade -

O número de pessoas forçadas a se deslocar continua crescendo, ano a ano, no mundo. No ano passado, 79,5 milhões de pessoas estavam deslocadas por guerras, conflitos e perseguições. É o maior número já verificado pela Agência das Nações Unidas para Refugiados (Acnur). Mais de 1% da população mundial, uma em cada 97 pessoas, está neste momento em deslocamento forçoso.

A Acnur divulgou hoje (18) o relatório Tendências Globais, que traz informações sobre a situação dos deslocados e refugiados em todo o mundo, anualmente. No final de 2018, eram 70,8 milhões de pessoas em deslocamento forçado. Segundo o documento, dois fatores podem explicar o crescente aumento nos números:os novos deslocamentos que ocorreram em 2019 na República Democrática do Congo, na região do Sahel, no Iêmen e na Síria, e a situação dos venezuelanos, que são 3,6 milhões que foram para outros países.

O conflito na Síria, que entrou no décimo ano, já fez 13,2 milhões de refugiados, solicitantes da condição de refugiado e pessoas deslocadas internamente, totalizando um sexto dos deslocados no mundo.

No últimos 10 anos, pelo menos 100 milhões de pessoas foram obrigadas a fugir de casa em busca de refúgio em outras cidades e países. Em geral, 73% dos refugiados e deslocados são acolhidos em países vizinhos ao seu.

No ano passado, mais de 2 milhões de pessoas apresentaram solicitações de asilo. Os Estados Unidos foram o país que mais recebeu pedidos (301 mil), seguido de Peru (259.800), Alemanha (142.500), França (123.900) e Espanha (118.300).

Ainda em 2019, 5,6 milhões de pessoas conseguiram retornar a suas zonas ou países de origem, sendo 5,3 milhões de deslocados internos e 317 mil refugiados.

Dois terços de todos os refugiados e deslocados ao exterior (68%) eram provenientes de apenas cinco países: Síria, Venezuela, Afeganistão, Sudão do Sul e Myanmar.

No Brasil, o relatório foi apresentado em uma conferência virtual, que contou com a participação do porta-voz da Acnur no Brasil, Luiz Fernando Godinho, do secretário adjunto da Acnur no Brasil, Federico Martinez, do coordenador-geral do Comitê Nacional para Refugiados (Conare), Bernardo Laferté, da diretora do Museu da Imigração, Alessandra Almeida, e da refugiada venezuelana no Brasil Yilmary de Perdomo.

Federico Martínez ressaltou que, apenas em 2019, estima-se que 11 milhões de pessoas foram deslocadas pela primeira vez. Destas, 2,4 milhões foram para outros países e 8,6 milhões se deslocaram internamente. Martínez lembrou que, entre os 79,5 milhões de deslocados forçadamente, cerca de 32 milhões são menores de idade, o que equivale a cerca de 40% de todos os deslocados no mundo.

Durante a conferência, a venezuelana Yilmary falou sobre sua trajetória de vida, a chegada no Brasil em 2016 e a luta para conquistar um espaço no mercado de trabalho em São Paulo. Terapeuta ocupacional na Venezuela, Yilmary disse que se reinventou e, pouco a pouco, conseguiu montar um negócio gastronômico chamado Tentaciones da Venezuela. Em um depoimento emocionado, Yilmary afirmou que sente orgulho de ser refugiada e representar muitas pessoas que “são guerreiras e recomeçaram a vida do zero”.

Em um primeiro momento, sem conseguir emprego, Yilmary começou a fazer bolos para vender na rua. Pouco a pouco, as encomendas foram aumentando e, com o apoio da Acnur e de organizações não governamentais (ONGs), ela conseguiu estruturar os negócios e se colocar no mercado.

De acordo com o relatório da Acnur, é muito difícil prever o cenário, em número de deslocados, para a próxima década. As mudanças climáticas e os desastres naturais podem agravar as ameaças que obrigam as pessoas a fugir de seus países. Conflitos, fome, pobreza e perseguição são algumas das razões do crescente deslocamento de milhões de pessoas todos os anos.

Matéria corrigida às 10h27 do dia 19/6. A diretora do Museu de Imigração é Alessandra de Almeida e não Yilmary de Perdomo, que é refugiada venezuelana no Brasil

- Publicidade -

Veja Também

Eduardo Paes e Crivella trocam acusações, ataques e ofensas em debate na Globo

Marcelo Crivella (Republicanos) repetiu diversas vezes que Eduardo Paes (DEM) será preso caso seja eleito. Paes rebateu dizendo que Crivella é mentiroso e o comparou ao governador afastado Wilson Witzel. Diversos direitos de resposta foram concedidos por conta de ataques pessoais.

Prestação de contas do governo do Rio será analisada na Alerj nesta segunda-feira

A reunião será transmitida pela TV Alerj e poderá ser acompanhada ao vivo pelo canal do youtube O relatório, elaborado pelo Tribunal de Contas do Estado (TCE/RJ), será apresentado por representantes do órgão
- Publicidade -

Últimas Notícias

Eduardo Paes e Crivella trocam acusações, ataques e ofensas em debate na Globo

Marcelo Crivella (Republicanos) repetiu diversas vezes que Eduardo Paes (DEM) será preso caso seja eleito. Paes rebateu dizendo que Crivella é mentiroso e o comparou ao governador afastado Wilson Witzel. Diversos direitos de resposta foram concedidos por conta de ataques pessoais.

Boletim Carioca

Assine nossa Newsletter e receba as últimas notícias e ofertas de nossos parceiros em seu email

Polícia Civil indicia funcionários do Extra de São Gonçalo por crime de racismo

Os dois são acusados de seguir e ofender com palavras alusivas à cor da pele o cliente Bernardo Martins, de 20 anos, em agosto desse ano.

Inscrições para programa de estágio da TIM se encerram dia 30

Operadora abrirá cerca de 300 vagas no país, sendo metade para candidatos negros, com meta de ampliar diversidade racial inclusive em cargos de direção

Prestação de contas do governo do Rio será analisada na Alerj nesta segunda-feira

A reunião será transmitida pela TV Alerj e poderá ser acompanhada ao vivo pelo canal do youtube O relatório, elaborado pelo Tribunal de Contas do Estado (TCE/RJ), será apresentado por representantes do órgão

Quinze mil policiais estarão de prontidão para eleições neste domingo

Eleitores do Rio, São Gonçalo, São João de Meriti, Petrópolis e Campos voltarão às urnas para 2° turno

Caleidoscópio da Cultura leva ‘Brincantes’ ao Teatro Mário Lago

Além da Vila Kennedy, peça também passará por teatros em Marechal Hermes, Campo Grande e Ipanema

Nissan doa carros elétricos para a Faetec

Carros vão ser utilizados em treinamentos técnicos e qualificação de instrutores especializados

Banco do Brasil lança Pix no WhatsApp, saiba como usar

Solução inovadora no mercado permite aos clientes realizar cadastramento, pagamento e recebimento de Pix, sem sair do ambiente do aplicativo de mensagens
- Publicidade -