28.2 C
Rio de Janeiro
5 dezembro, 2021

Economia de Cuba se contrai em 13% durante a pandemia, aponta relatório

- Publicidade -

Diário Carioca Google News

Havana, 27 out (EFE).- O produto interno bruto (PIB) de Cuba se contraiu em 13% entre 2020 e setembro de 2021, “um impacto realmente duro” para o país, informou nesta quarta-feira o vice-primeiro-ministro e ministro de Economia e Planejamento cubano, Alejandro Gil.

- Publicidade -

No relatório sobre o estado da economia apresentado à sessão plenária da Assembleia Nacional do Poder Popular (ANPP, parlamento unicameral), o ministro atribuiu este comportamento ao endurecimento do embargo econômico dos EUA contra Cuba e aos efeitos da pandemia de covid-19.

- Publicidade -

Sobre as receitas em moeda estrangeira, um dos déficits sofridos pela economia cubana, Gil disse que no final de setembro tinham sido gerados cerca de US$ 2 bilhões (60% do plano), e recordou que em 2020 o país tinha perdido US$ 2,4 bilhões.

- Advertisement -

No âmbito das exportações, o ministro disse que elas representavam cerca de US$ 1,344 bilhão em produtos, 68,7% do plano, enquanto as importações rondavam os US$ 5,8 bilhões (65%).

O ministro especificou que US$ 1,348 bilhão foram destinados à compra de alimentos básicos, valor que ele considera “muito abaixo da demanda”.

Os indicadores econômicos de Cuba provêm do Estado cubano, não são auditados no exterior e são difíceis de comparar, uma vez que o país não é membro de organizações internacionais como o Banco Mundial ou o Fundo Monetário Internacional (FMI).

Gil citou o não cumprimento de metas nas vendas de dois dos principais produtos exportáveis de Cuba, o tabaco (91% do plano), devido a problemas ligados à covid-19″ e à paralisação de algumas fábricas, e o rum (86% do plano), por “problemas de demanda no mercado internacional”.

Quanto ao níquel, uma das principais exportações do país, disse que embora o seu preço no mercado internacional esteja superior ao esperado, Cuba não alcançou “os níveis previstos de produção física”.

De acordo com o ministro, o plano de vendas ao exterior não levava em conta o impacto que a covid-19 teria, especialmente no setor do turismo.

Antes da pandemia, o turismo era a segunda maior fonte oficial de receitas em moeda estrangeira – atrás apenas da venda de serviços profissionais no exterior – e contribuía com cerca de 10% do PIB.

De janeiro a maio de 2021, o país recebeu 225.417 turistas e viajantes estrangeiros, quase dois milhões a menos do que na mesma época em 2020, uma diminuição de 94%, segundo dados do Escritório Nacional de Estatísticas e Informação (Onei).

Como resultados favoráveis, Gil mencionou as exportações de mel, produtos biofarmacêuticos e serviços de telecomunicações. Também descreveu a situação na produção alimentar como “muito complexa”, devido à escassez de fatores de produção, combustível, peças e equipamento, além de problemas organizacionais.

Segundo o político, em quase todas as áreas há descumprimento de metas, citando arroz, milho, feijão e leite, com 63 milhões de litros abaixo do previsto.

A produção de cimento (80% do plano) também está aquém, e de aço está “muito afetada” (52%), segundo explicou, “como resultado das medidas tomadas para reduzir o consumo de energia nestas indústrias”.

No caso da geração de energia, o ministro da Economia disse que espera encerrar o ano com cerca de 3 milhões de toneladas de petróleo e gás produzidos internamente, mais 90 mil toneladas do que o planejado, mas indicou que certas manutenções e investimentos nesta área têm sido adiados.

Há meses que a produção de eletricidade tem enfrentado sérias dificuldades, atribuídas a avarias nas usinas termoelétricas e à falta de peças para a manutenção exigida por estas instalações, o que tem provocado apagões.

O vice-primeiro-ministro informou que 541 empresas estatais estão a reportando prejuízo (30% do total) e disse ser necessário “analisar tudo o que tem a ver com gestão, organização e oportunidades para aproveitar essa demanda solvente do país”.

Gil declarou que as prioridades continuarão sendo o controle da inflação, a recuperação do sistema nacional de eletricidade e energia e o atendimento às pessoas vulneráveis. EFE

Assine nossa newsletter

Assine nosso Boletim e ique bem informado com as principais notícias do Mundo

- Publicidade -
Redação do Diário Cariocahttps://diariocarioca.com
Equipe de jornalistas e colaboradores do jornal Diário Carioca. Profissionais de comunicação que trazem as informações mais importantes do Brasil e do Mundo

EE.UU. prevé permitir viajes desde Sudáfrica en “un periodo razonable de tiempo”

Washington, 5 dic (EFE).- El principal epidemiólogo del Gobierno estadounidense, Anthony Fauci, señaló este domingo que espera que EE.UU. revise sus restricciones de viaje...

Cuba registra 88 nuevos casos de covid-19 y dos muertes

La Habana, 5 dic (EFE).- Las autoridades sanitarias cubanas informaron este domingo que en las 24 horas previas se identificaron 88 nuevos casos por...

Portugal, con muertes en máximos de marzo, refuerza a vacunados de Janssen

Lisboa, 5 dic (EFE).- Portugal notificó hoy 23 fallecimientos por covid-19, un nuevo máximo desde el mes de marzo, en una jornada en la...

Unas 8.000 personas se manifiestan en Bruselas contra las medidas anticovid

Bruselas, 5 dic (EFE).- Unas 8.000 personas recorrieron hoy las calles de Bruselas en protesta contra las medidas sanitarias para contener el coronavirus y...

Paulo Guedes diz que subida dos juros deve provocar desaceleração na economia

O ministro da economia, Paulo Guedes, reconheceu que a subida dos juros para combater a inflação vai provocar uma desaceleração na economia
- Publicidade -

Gávea recebe Festival de Humor

Reunindo alguns dos principais nomes do standup comedy nacional em uma só noite, o Festival de Humor 2021 acontece na Gávea, no Teatro Clara Nunes
- Publicidade -