24.2 C
Rio de Janeiro
29 novembro, 2021

Kyle Rittenhouse é absolvido por mortes durante distúrbios raciais nos EUA

- Publicidade -

Diário Carioca Google News

Washington, 19 nov (EFE).- Um júri declarou inocente, nesta sexta-feira, o jovem Kyle Rittenhouse, acusado de matar duas pessoas em agosto do ano passado – quando ele tinha 17 anos – durante os distúrbios raciais em Wisconsin, nos Estados Unidos.

Após três dias e meio de deliberações, o júri considerou o réu inocente de todas as cinco acusações, incluindo homicídio em primeiro grau e tentativa de homicídio em primeiro grau.

Os doze membros do júri absolveram o jovem por unanimidade após um julgamento de duas semanas no Tribunal do Condado de Kenosha, em Wisconsin.

Durante o julgamento, o próprio Rittenhouse, bastante emocionado, se defendeu dizendo que naquela noite fatídica em Kenosha ele agiu em legítima defesa quando atirou em três manifestantes, dois dos quais foram mortos.

- Advertisement -

A promotoria tentou mostrar que as ações de Rittenhouse constituíram um homicídio e caracterizou o jovem como um “vigilante adolescente” que viajou de Illinois a Kenosha com um rifle semiautomático AR-15 para se juntar a outras pessoas armadas que eram vistos como guardiões de empresas locais.

O episódio ocorreu durante o caos desencadeado em Kenosha, depois que um policial atirou nas costas do afro-americano Jacob Blake, o deixando paraplégico.

O incidente gerou uma onda de protestos contra a brutalidade policial com a comunidade negra e, dois dias depois, em 25 de agosto, Rittenhouse matou dois manifestantes na mesma cidade e feriu um terceiro.

O jovem abriu fogo em meio a confrontos entre grupos de civis armados e manifestantes do movimento “Black Lives Matter”.

O então presidente Donald Trump defendeu Rittenhouse, um apoiador do antigo mandatário, e se recusou a se encontrar com a família de Blake.

O caso contra o jovem causou grandes divisões na sociedade americana e instigou um debate nacional sobre se os cidadãos fazem justiça com as próprias mãos, o direito de portar armas e a definição de legítima defesa.

Após o fato, Rittenhouse, nascido na zona rural de Illinois, tornou-se um símbolo do trumpismo, pois muitos o veem como um jovem íntegro que veio a Kenosha para pacificar a área e fornecer ajuda médica, em resposta a protestos raciais, que por vezes se transformaram em motins, em várias cidades dos EUA em 2020.

Após a absolvição do jovem, há receios de que novos distúrbios ocorram em Kenosha, onde o governador de Wisconsin, Tony Evers, ativou nesta semana 500 membros da Guarda Nacional – um corpo de reserva – em caso de agitações. EFE

ssa/phg

Assine nossa newsletter

Assine nosso Boletim e ique bem informado com as principais notícias do Mundo

- Publicidade -
Agência EFEhttps://www.efe.com/efe/brasil/3
A agência EFE é um serviço de notícias internacional criado em 1939 em Espanha. É uma das maiores agências de notícias do mundo, primeira em idioma espanhol e principal provedor de serviços informativos para os meios de comunicação nos países de língua espanhola

Los ministros de Sanidad del G7 analizan estrategias contra la ómicron

Londres, 29 nov (EFE).- Los ministros de Sanidad del Grupo de los Siete (G7, economías más desarrolladas) se reúnen este lunes, a convocatoria de...

España pide a sus turistas en Marruecos que contacten con sus aerolíneas

Rabat, 29 nov (EFE).- La Embajada de España en Marruecos solicitó a los españoles de viaje en el país magrebí que contacten con sus...

La República Checa confirma su primer caso de infección con variante ómicron

Praga, 29 nov (EFE).- La República Checa confirmó hoy su primer caso de infección con la variante ómicron del coronavirus, detectado en una mujer...

La ómicron deja en el limbo a Yaya Sithole, internacional con Sudáfrica

Lisboa, 29 nov (EFE).- La variante ómicron ha dejado en tierra de nadie al joven futbolista internacional con Sudáfrica Yaya Sithole, centrocampista que milita...

Corea del Sur mantiene las restricciones por el actual ritmo de contagios

Seúl, 29 nov (EFE).- El presidente surcoreano, Moon Jae-in, dijo hoy que el país no activará de momento una relajación de las restricciones sociales...
- Publicidade -

A Culpa é do Cabral recebe MC Carol

A Culpa é do Cabral, mesa redonda de humor consagrada pelo quinteto de comediantes formado por Fabiano Cambota, Nando Viana, Rafael Portugal, Rodrigo Marques e Thiago Ventura recebe MC Carol no próximo episódio inédito.
- Publicidade -