22 C
Rio de Janeiro
8 dezembro, 2021

AIE vê preço da energia em “zona de perigo” para países emergentes

- Publicidade -

Diário Carioca Google News

Paris, 24 nov (EFE).- O diretor executivo da Agência Internacional de Energia (AIE), Fatih Birol, afirmou nesta quarta-feira que os preços atuais do combustível entraram na “zona de perigo” para a maioria das economias emergentes na América Latina, na Ásia e na África.

- Publicidade -

Em entrevista coletiva virtual, o dirigente turco disse que a situação coloca um fardo sobre os consumidores e as empresas e “uma pressão adicional sobre a inflação em um período em que a recuperação econômica é desigual e ainda enfrenta certos riscos”.

- Publicidade -

Birol insistiu para que o aumento dos preços não seja atribuído ao compromisso com uma transição ecológica.

- Advertisement -

A forte recuperação da economia mundial, que segundo ele coloca muita pressão sobre a cadeia de abastecimento no mercado da energia, é o principal fator, mas Birol também culpou os principais fornecedores de petróleo e gás pela criação de uma “tensão artificial” nos mercados globais.

“Os países da Opep+ fazem parte da economia global. Penso que todas as nações e governos gostariam de assistir a uma recuperação equilibrada. Espero que em futuras reuniões levem isto em conta e tomem medidas suficientes para ajudar a fazer baixar os preços”, acrescentou.

As observações de Birol chegam um dia depois de os Estados Unidos terem anunciado a maior redução das suas Reservas Estratégicas de Petróleo até o momento, 50 milhões de barris, como parte de uma aliança coordenada com China, Índia, Japão, Coreia do Sul e Reino Unido para reduzir os preços dos combustíveis.

O representante da AIE assinalou que esta iniciativa não é “uma resposta coletiva” da sua organização, que intervém em caso de grande perturbação do mercado.

No passado, segundo detalhou, a intervenção foi feita em três ocasiões: em 1991, devido à Guerra do Golfo; em 2005, após o furacão Katrina nos EUA, e em 2011, como resultado da guerra civil líbia.

Birol considera também que um aumento das exportações de gás da Rússia para a Europa poderia trazer “alívio” ao mercado energético europeu.

“A nossa análise mostra que a Rússia pode facilmente aumentar as suas exportações para a Europa em cerca de 15%, o que poderia confortar significativamente o mercado europeu do gás”, concluiu o dirigente. EFE

Assine nossa newsletter

Assine nosso Boletim e ique bem informado com as principais notícias do Mundo

- Publicidade -
Agência EFEhttps://www.efe.com/efe/brasil/3
A agência EFE é um serviço de notícias internacional criado em 1939 em Espanha. É uma das maiores agências de notícias do mundo, primeira em idioma espanhol e principal provedor de serviços informativos para os meios de comunicação nos países de língua espanhola

Bachelet: Una vacuna no puede administrarse nunca a la fuerza

Ginebra, 8 dic (EFE).- La alta comisionada de la ONU para los Derechos Humanos, Michelle Bachelet, aseguró hoy que "bajo ninguna circunstancia" se puede...

Sao Paulo exigirá el pasaporte sanitario a partir del 15 de diciembre

Sao Paulo, 8 dic (EFE).- Sao Paulo, el estado más poblado de Brasil, solicitó este miércoles al Ministerio de Salud que exija el llamado...

Reino Unido reintroduce restricciones para frenar la expansión de ómicron

Londres, 8 dic (EFE).- El primer ministro británico, Boris Johnson, anunció este miércoles nuevas restricciones al contacto social para evitar la rápida transmisión de...

Centroamérica, excepto Panamá, experimenta una bajada aguda de los contagios de covid-19

Washington, 8 dic (EFE).- Los países de Centroamérica, excepto Panamá, han experimentado "una bajada aguda" de los contagios de covid-19 en la última semana,...

La IATA pide el fin de las restricciones aéreas dictadas por la ómicron

Ginebra, 8 dic (EFE).- La Asociación Internacional del Transporte Aéreo (IATA), que engloba a buena parte de las aerolíneas mundiales, pidió hoy a los...
- Publicidade -

Rio Gastronomia começa com shows de Geraldo Azevedo e Teresa Cristina

Maior evento de gastronomia do Brasil retorna ao Jockey Club Brasileiro nos dias 9 a 12 e 16 a 19 de dezembro.
- Publicidade -