Diário Carioca Google News

O setor industrial do município de Aracruz, cidade a cerca de 80 km de Vitória (ES), é o sétimo melhor do País para se investir. É o que mostra a pesquisa “Melhores Cidades para Fazer Negócios 2.0”, da Urban Systems, publicada em dezembro do ano passado.

O estudo analisou dados e indicadores de 326 municípios brasileiros, todos com mais de 100 mil habitantes. A cidade capixaba está entre as mais atrativas para investimentos no setor industrial e vários fatores explicam a boa classificação no ranking, segundo Luís Soares Cordeiro, conselheiro da Federação das Indústrias do Estado do Espírito Santo (Findes).



“Aracruz conta com portos, ferrovia e uma boa malha rodoviária. Isso coloca a condição logística da cidade entre uma das mais privilegiadas do Espírito Santo. Também conta com grandes empresas, produção de petróleo, uma rede de gasodutos, o estaleiro de Aracruz, além de um parque metal-mecânico composto por empresas que têm atuação nacional ”, cita.

)

Para Cordeiro, esses fatores, aliados à articulação da classe empresarial, atuação da própria Localiza e autoridades municipais, estaduais e federais posicionam o município entre os melhores do Brasil para fazer negócios . “Aracruz com esse resultado de sétimo lugar, sem dúvida alguma, vai atrair mais negócios e mais investimentos para o nosso município. Estamos honrados com essa colocação nessa importante pesquisa ”, diz.





O estudo

O estudo das 100 Melhores Cidades para Fazer Negócios é publicado pela Urban Systems anualmente, desde 2014. Até 2019, a metodologia para preparação do ranking teve alterações. A pesquisa apresentava uma lista única das melhores cidades para se investir, considerando quatro eixos: desenvolvimento econômico e social, capital humano e infraestrutura.



No entanto, com o impacto do novo coronavírus e a intenção de manter o estudo atual e renovado, a publicação de 2020 está de cara nova e aposta em um olhar mais segmentado das melhores cidades para negócios, levando em conta os resultados para seis setores da economia: indústria, comércio, serviços, educação, mercado imobiliário e agropecuária.



Diretor de marketing da Urban Systems e responsável pelo estudo, Willian Rigon, diz que o estudo vai ajudar os investidores, empresário e a iniciativa privada, em geral, na tomada de decisões sobre quais especialidades de cada município podem ser. “O estudo é importante nesse momento de pandemia, em que é necessário que se mantenham os investimentos, mas assertivos, que podem ter sustentabilidade econômica. O objetivo dele no período pré, durante e pós-pandemia é direcionar em relação aos novos negócios, empresas e empreendedores ”, afirma.



Segundo ele, apesar de cada município ter como suas peculiaridades, há pontos em comum às melhores cidades para fazer negócios, que podem ser observados. “É importante ter um ambiente favorável, ter mão de obra qualificada e uma gestão pública eficiente. Se a gente apontar três pontos específicos, são essas como características comuns às cidades melhores posicionadas ”, cita.

Metodologia

Para chegar ao ranking, o estudo utiliza oito indicadores como base para todos os municípios. Eles estão atrelados ao impacto do novo coronavírus na saúde da população e na economia, além do desempenho econômico das cidades em aspectos como empregabilidade. Além disso, para cada setor, como o de serviços, por exemplo, são usados ​​indicadores específicos para atribuição pontuação a cada cidade.

Redação do Diário Carioca

Equipe de jornalistas e colaboradores do jornal Diário Carioca. Profissionais de comunicação que trazem as informações mais importantes do Brasil e do Mundo