Diário Carioca Google News

Adiado em abril do ano passado por causa da pandemia de covid, o musical Charlie e a Fantástica Fábrica de Chocolate tem agora nova data de estreia: 17 de setembro. E a venda de ingressos já estará aberta a partir do meio-dia desta quinta-feira, 12 (pelo site www.ticketsforfun.com.br).

E, se antes estava previsto para o ocupar o palco do Teatro Alfa, o espetáculo vai ser encenado agora no Teatro Renault. O motivo da troca se justifica por causa da agenda do Alfa, que terá, nesse segundo semestre, sua tradicional temporada de dança, que inclui a montagem do Quebra Nozes, em dezembro, além de várias formaturas de escolas de dança no final do ano.

Assim, a fim de aproveitar o atual momento de melhor controle da pandemia, o Instituto Artium de Cultura, em parceria com a produtora Atelier de Cultura, acertou a temporada, que deverá ir até dezembro, no Renault. Mesmo com a liberação de uso da capacidade total dos assentos do teatro, normas sanitárias continuarão em vigor, como a recomendação do uso de máscara durante todo o tempo de permanência no local. Também a movimentação nas dependências do teatro será controlada, a fim de se evitar aglomeração.

Baseado no livro de Roald Dahl e com direção geral de John Stefaniuk (que deverá vir ao Brasil para acompanhar os ensaios finais), Charlie e a Fantástica Fábrica de Chocolate acompanha a história de Charlie Bucket, um garoto pobre, que encontra um dos cobiçados bilhetes dourados que lhe dá o direito a visitar a misteriosa fábrica do chocolateiro Willy Wonka.

Wonka está há anos isolado e decide sair em busca de um sucessor de coração puro que possa tomar seu lugar. Ele lança o concurso de busca a um dos cinco bilhetes dourados colocados aleatoriamente em suas barras de chocolates. As estratégias de cada um dos premiados para encontrarem os bilhetes começará a revelar suas formas de lidarem com situações e revelará suas personalidades.

As crianças premiadas, acompanhadas por um familiar, entram na fábrica acolhidas por seu dono, e mergulham em um passeio por vários dos setores que fabricam e desenvolvem seus incríveis e mágicos produtos. Será também um teste que vai permitir a gradativa eliminação das crianças que não têm os atributos de valores e afeto que Willy Wonka enxerga em si mesmo, quando ele próprio era uma criança.

Cleto Baccic será o intérprete de Willy Wonka e o musical contará com direção musical de Daniel Rocha, coreografia de Floriano Nogueira e cenografia de Michael Carnahan, responsável por um dos maiores cenários musicais já construídos no Brasil, que conta com um elevador de vidro que sobrevoa o palco, além de efeitos especiais como a menina que infla como uma amora gigante

Para Baccic, trata-se de uma história sobre escolhas. “Ela nos leva a observar nossos limites e consequências sobre nossas atitudes. Ninguém consegue passar pela vida sem ser testado por ela. Willy faz isso com os ganhadores dos bilhetes dourados. Ele os coloca diante de seus maiores desejos para assim testar seus valores”, afirma.

O musical será apresentado às sextas-feiras às 20h30, com duas sessões nos sábados (15h30 e 20h30) e outras duas aos domingos (14h30 e 19h30).

Redação do Diário Carioca

Equipe de jornalistas e colaboradores do jornal Diário Carioca. Profissionais de comunicação que trazem as informações mais importantes do Brasil e do Mundo

Deixe um comentário

Deixe uma resposta