30.4 C
Rio de Janeiro
sábado, novembro 28, 2020
- Publicidade -

Bolsonaro: auxílio é “pouco para quem recebe e muito para quem paga”

Presidente estuda prorrogar o benefício até o fim do ano

- Publicidade -

O presidente Jair Bolsonaro voltou a anunciar hoje (29) que o governo trabalhar pela prorrogação do auxílio emergencial até o final do ano, com um valor abaixo dos atuais R$ 600, mas acima de R$ 200,00.

“Sabemos da necessidade daqueles que recebem o auxílio emergencial, e ele é pouco para quem recebe e muito para quem paga”, disse o presidente. “Vocês gastam por mês R$ 50 bilhões neste auxílio. Nós pretendemos com um valor menor, que obviamente não será 600, mas também não será 200, prorrogá-lo até o final do ano”, acrescentou.

Pago em razão da crise econômica provocada pela pandemia de covid-19, a criação do benefício foi aprovada pelo Congresso em março e sancionada pelo presidente no mês seguinte. Os beneficiários aprovados, que incluem desempregados e informais, recebem hoje três parcelas mensais de R$ 600,00.

Taxação do sol

Bolsonaro fez o anúncio no município goiano de Caldas Novas, onde participou hoje (29) da inauguração de uma usina de energia fotovoltaica, junto com o ministro das Minas e Energia, Bento Gonçalves, e o governador de Goiás, Ronaldo Caiado (DEM).

A usina, com capacidade para iluminar 4.256 casas, foi construída com recursos privados e pertence ao grupo Di Roma, que possui um complexo turístico na cidade goiana, cujo principal atrativo são as águas termais.

No evento, o presidente voltou a se colocar contra a cobrança de taxas sobre geração de energia solar, afirmando que “o sol não será taxado”. Em janeiro, Bolsonaro já havia dito que, após conversas com a cúpula do Congresso, a taxação sobre a atividade estava “sepultada”.

O presidente passou a se posicionar com mais firmeza sobre o assunto depois que uma resolução da Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) previu mudanças nos subsídios para a compensação da energia produzida em usinas fotovoltaicas. A medida foi depois revista

- Publicidade -

Veja Também

Mundurukus têm saúde afetada por mercúrio

De cada 10 participantes, 6 apresentaram níveis de mercúrio acima de limites seguros: cerca de 57,9% dos participantes apresentaram níveis de mercúrio acima de 6µg.g-1 – que é o limite máximo de segurança estabelecido por agências de saúde.
- Publicidade -

Últimas Notícias

Boletim Carioca

Assine nossa Newsletter e receba as últimas notícias e ofertas de nossos parceiros em seu email

Aline Lessa e Luiz Lopes apresentam o projeto “Rita e Raul”, no Osório Bar, em Ipanema

O guitarrista, que já tocou com grandes artistas brasileiros, como Erasmo Carlos e a Cor do Som está empolgado com o projeto e promete uma noite de muito som e diversão.

Mundurukus têm saúde afetada por mercúrio

De cada 10 participantes, 6 apresentaram níveis de mercúrio acima de limites seguros: cerca de 57,9% dos participantes apresentaram níveis de mercúrio acima de 6µg.g-1 – que é o limite máximo de segurança estabelecido por agências de saúde.

Médicos Sem Fronteiras atendem pessoas que fogem da violência na Etiópia

Milhares de etíopes cruzaram a fronteira rumo ao Sudão desde o início de novembro

Vereador dá entrada em projeto de lei para criar a Praça Maradona, em frente ao Consulado da Argentina, no Rio

Segundo o texto, fica permitida a instalação de busto ou estátua em homenagem ao craque argentino, falecido no dia 25 de novembro.

Brasil Cena Aberta Ato 2020 tem versão online transmitida diretamente do Teatro Cacilda Becker

Em detrimento da pandemia do Covid -19, Brasil Cena Aberta opta por criar uma edição especial, um ato que acontece entre 2 e 4 de dezembro e conta com espetáculos de teatro e dança, encontros entre artistas e curadores internacionais, bate-papos, workshops, apresentação de novos projetos e técnicos de palco e coxia.

Daparte lança o EP “Como Não Se Lembram”

Vivendo um momento de liberdade criativa durante os tempos de distanciamento social, Juliano Alvarenga (voz e guitarra), João Ferreira...

Eduardo Paes e Crivella trocam acusações, ataques e ofensas em debate na Globo

Marcelo Crivella (Republicanos) repetiu diversas vezes que Eduardo Paes (DEM) será preso caso seja eleito. Paes rebateu dizendo que Crivella é mentiroso e o comparou ao governador afastado Wilson Witzel. Diversos direitos de resposta foram concedidos por conta de ataques pessoais.
- Publicidade -