Diário Carioca Google News

Cento e três artesãos da região turística Costa Verde receberam, nesta terça-feira, a Carteira Nacional do Artesão. O documento foi entregue pelo Programa de Artesanato Estadual, vinculado à Secretaria de Estado de Turismo do Rio de Janeiro (Setur-RJ), durante solenidades, que contemplaram artífices de Angra dos Reis e Paraty. Foram entregues 55 documentos a profissionais de Angra dos Reis e a 48 de Paraty.

O secretário de Estado de Turismo, Gustavo Tutuca, participou das solenidades de entrega dos documentos e ressaltou a importância do artesanato como gerador de emprego e renda para milhares de profissionais e como fator de desenvolvimento econômico para as cidades que investem na atividade.

– Artesanato e turismo se entrelaçam. A maioria dos viajantes leva uma lembrança do lugar que visitou porque essas peças refletem a arte e a cultura do local que aquele turista não quer esquecer. Por isso, é tão importante, para o desenvolvimento de ambas as atividades, que elas caminhem juntas. Ganha o artesão, o município e o turismo do Estado.

A coordenadora do Programa de Artesanato, Natcha Dias Bhering, ressaltou a importância do cadastramento e os benefícios oferecidos pela Carteira Nacional do Artesão.

– Quero lembrar que o cadastro está sendo realizado em formato online. É necessário cumprir todas as etapas do processo para receber a carteira. O programa de Artesanato está à disposição dos que tiveram algum tipo de dificuldade para obter o documento que garante, entre outro benefícios, a possibilidade de microcrédito com a AgeRio, desconto para a compra de matéria prima e cursos de qualificação promovidos pelo Instituto Federal.

A artífice Aparecida de Cássia da Silva, de 50 anos, mora em Angra dos Reis há 22 anos, onde desenvolve trabalho artesanal usando a cabeça do peixe cavala, típico do município. Ela foi uma das que receberam a Carteira Nacional do Artesão e falou sobre a importância do documento.

– A carteira é de grande importância para nós artesãos porque formaliza o nosso trabalho. Além disso, ainda nos oferece vários benefícios. Estou muito feliz pelo reconhecimento do meu trabalho. Só tenho a agradecer.

Já a artesã Nayara Santos Nascimento, de 34 anos, é baiana, mora em Paraty há 13 anos, e descobriu há cerca de oito que o artesanato poderia ser uma fonte de renda para sua família. 

– É uma segunda renda para minha família. O turista, sempre que vem à cidade, procura alguma coisa que lembre a cidade. E o artesanato tem tudo a ver com a cidade. Sobre a carteira, posso dizer que quando você tem uma identificação de artesã tudo acaba ficando mais fácil, ela mostra que eu sou uma pessoa regularizada e reconhecida como artesã. Trazer o reconhecimento: esse é o maior benefício que o documento vai trazer. Fiquei super feliz!

Segundo dados levantados pelo Programa de Artesanato Estadual, vinculado à Setur-RJ, Angra dos Reis conta com 368 artífices já cadastrados e Paraty, 225. As solenidades de entrega aconteceram no Teatro Municipal de Angra dos Reis, na parte da manhã, e no Cinema da Praça da Imperatriz, em Paraty, à tarde

Mais Noticias

JR Vital é jornalista e editor do Diário Carioca. Formado no Rio de Janeiro, pela faculdade de jornalismo Pinheiro Guimarães, atua desde 2007, tendo passado por diversas redações.