A alta nos preços da gasolina continua acompanhando a retomada das atividades econômicas com a flexibilização do isolamento social. Esta elevação deve ser maior nos próximos dias, por causa do aumento de 5% proposto pela Petrobras em suas refinarias. No Rio de Janeiro, o preço médio da gasolina comum em setembro foi de R$ 4,92, porém a cidade é subdividida em regiões com cenários sócio-econômicos bem diferentes. De acordo com levantamento feito pela ValeCard, empresa especializada em soluções de gestão de frotas, o valor cobrado pelo litro do combustível variou até 10,31% em diferentes bairros da capital durante o período, com preços entre R$ 4,661 e R$ 5,142.

O carioca que for abastecer o seu veículo vai encontrar a gasolina mais cara nos bairros da Urca (R$ 5,142), Flamengo (R$ 5,112) e Parque do Flamengo (R$ 5,090), todos da zona sul. Já os preços mais baratos estão no Catumbi, (R$ 4,661); zona central, em Deodoro (R$ 4,625), zona oeste; e em Magalhães Bastos (R$ 4,634), também da zona oeste. Para comparação, os dados mostram que o estado do Rio de Janeiro teve a média mais alta entre o Sudeste (R$ 4,920). Já São Paulo foi o estado com a gasolina mais barata (R$ 4,194)

Equipe de jornalistas e colaboradores do jornal Diário Carioca. Profissionais de comunicação que trazem as informações mais importantes do Brasil e do Mundo

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *