Desativado desde 2016, o Instituto Médico-Legal de Cabo Frio voltará a funcionar. Resposta da Secretaria de Estado de Polícia Civil ao deputado estadual Anderson Alexandre (SDD), que formalizou pedido pela reabertura do IML na Região dos Lagos fluminense.

A assessoria técnico-administrativa da Polícia Civil informou, através de ofício, que está em fase de assinatura um termo de cooperação técnica junto à Empresa de Obras Públicas do Estado do Rio de Janeiro (EMOP) para posterior descentralização de recursos.

Ainda de acordo com a Polícia Civil, também já  foram iniciadas as tratativas para cessão definitiva do imóvel para que sejam realizadas as obras necessárias à reabertura do IML-Cabo Frio.

O deputado Anderson Alexandre formalizou ao governador Cláudio Castro, ao secretário de Polícia Civil, Alan Turnowski, e ao secretário de Infraestrutura e Obras, Bruno Kazuhiro, os apelos de moradores de Cabo Frio pela reabertura.

Na solicitação às autoridades estaduais, Anderson Alexandre informou que necrópsias de mortes que ocorrem na cidade são realizadas nos municípios de Arraial do Cabo, Búzios, São Pedro da Aldeia, Iguaba Grande, Macaé e São Gonçalo, quilômetros de distância de Cabo Frio. 

No censo demográfico de 2010, foi contabilizado que a cidade de Cabo Frio tinha aproximadamente 190 mil habitantes. Hoje, a previsão é cerca de 230 mil habitantes. 

“É incompreensível que um município com o porte de Cabo Frio esteja tanto tempo com o IML desativado. A viagem para outras cidades para a liberação de corpos prolonga o sofrimento de quem perde um familiar ou amigo, além de prejuízo e transtornos. Agradeço ao governador Cláudio Castro e aos secretários Alan Turnowski e Bruno Kazuhiro pela sensibilidade em priorizar a reabertura do IML”, afirma o deputado Anderson Alexandre.

Equipe de jornalistas e colaboradores do jornal Diário Carioca. Profissionais de comunicação que trazem as informações mais importantes do Brasil e do Mundo