Homem em situação de rua é encontrado morto em Petrópolis (RJ) após noite com mínima de 7°

Brasil de Fato
Brasil de Fato
Leia em 5 Min
homem-em-situacao-de-rua-e-encontrado-morto-em-petropolis-(rj)-apos-noite-com-minima-de-7°
Petrópolis

Um homem em situação de rua foi encontrado morto na calçada onde dormia no centro histórico do município de Petrópolis, na região serrana do Rio de Janeiro, na última terça-feira (28). A hipótese de morte por frio não está descartada. A madrugada de segunda-feira (27) para terça-feira (28) foi uma das mais frias da semana na cidade – com temperaturas mínimas atingindo 7°C.

Leia também: Quase um terço dos brasileiros têm que sobreviver com até R$ 497 por mês, segundo FGV

Segundo a imprensa local, o corpo do homem passou o dia inteiro na calçada da Rua do Imperador, em frente a um shopping, onde foi constatado o óbito. O corpo só foi removido às 17h pela Polícia Civil.

Ao Brasil de Fato, a assessoria de comunicação da Polícia Civil não informou o motivo da demora para a remoção. Por meio de nota, o órgão disse que “o corpo foi encaminhado ao Instituto Médico Legal (IML) da região para exame de necropsia, a fim de apurar a causa da morte”. Ainda de acordo com a assessoria, a investigação está em andamento para esclarecer o caso.

A reportagem também procurou a Prefeitura de Petrópolis, que informou que o homem era paciente do Centro de Atenção Psicossocial Álcool e Outras Drogas (Caps-AD) por ser usuário de drogas e ter transtornos mentais.

Segundo o município, por estar em situação de rua, ele já vinha sendo atendido pelas unidades da Secretaria de Assistência Social, entre elas, o Centro Pop, Núcleo de Integração Social (Nis) e a Unidade de Acolhimento Temporário (Unat). 

Leia mais: RJ: criança morre após engasgar com maçã em creche no município de Petrópolis

Ainda de acordo com a prefeitura, o homem foi atendido na última segunda-feira (27) pelos equipamentos de saúde e da assistência social do município.

“À tarde, na Unat, no bairro Retiro, o enfermeiro de plantão percebeu que ele estava agitado, por isso aferiu sua pressão. Como estava com sua pressão alterada, o profissional acionou o Samu  [Serviço Móvel de Atendimento de Urgência] solicitando o atendimento. O Samu foi até o local, atendeu o morador ainda na unidade e o levou até a UPA [Unidade de Pronto Atendimento] Centro. Lá, foi constatado um quadro de intoxicação por uso de drogas. Ele chegou a ser medicado, mas removeu a sonda e se negou a permanecer na unidade”, diz a nota.

A prefeitura ainda informou que a assistência social da UPA Centro chegou “a abordar o paciente e pediu para que ele aguardasse a chegada do transporte solicitado junto ao Centro Pop, mas ele insistiu em deixar o local sem a devida assistência”, conclui o texto enviado ao Brasil de Fato. 

Onda de Frio

Segundo a prefeitura, a Secretaria de Assistência Social deu início em maio à Operação Inverno. Diariamente, uma equipe da secretaria percorre a cidade, buscando convencer as pessoas em situação de rua a dormir no Centro Pop.

“Elas não são obrigadas a ir para lá. A abordagem é um trabalho de conversa, esclarecimentos e convencimento. Muitas das pessoas abordadas não são de Petrópolis, outras possuem problemas mentais ou com álcool e drogas”, destacou o município.

Leia mais: Em Petrópolis (RJ), comerciantes relatam prejuízos incontáveis: “A gente quer se reerguer”

De acordo com o governo municipal, as pessoas que aceitam o convite para o acolhimento no Centro Pop passam pelo atendimento técnico e têm cama, cobertores, alimentação e banho.

Em maio, foram realizados, ao todo, 336 pernoites. Hoje, a Secretaria conta com 44 vagas por noite (podendo aumentar esse número, caso haja demanda para isso).

Fonte: BdF Rio de Janeiro

Edição: Mariana Pitasse


Compartilhe