RAY CUNHA, BRASÍLIA, 22-04-2021 – Tudo em a natureza contém três energias básicas: o Qi, que é a essência da vida; o Yang, calor; e yin, frio. O dia é quente e a noite é fria, mas a constante passagem do dia para a noite e da noite para o dia promove um equilíbrio que permite que o planeta seja habitável pelos seres que vivem aqui.

Conforme os preceitos da Medicina Tradicional Chinesa, os alimentos apresentam natureza fria ou quente, ou seja, são yin ou yang. Assim, dependendo do horário em que forem consumidos, podem beneficiar ou prejudicar a saúde. 

Os alimentos energeticamente quentes, basicamente todos os que vão ao fogo, ativam a energia Qi, ou seja, aquecem, movem-se para cima e para o exterior, dispersam, eliminam o frio interno e externo e aumentam a energia de defesa orgânica.

Conforme disse, a noite, que começa às 18 horas, tem natureza fria. Consumir à noite alimentos de natureza fria gera excesso de frio, que estagna o yin, levando a noites mal dormidas, estômago inchado, dor de cabeça, constipação intestinal, tumores benignos e dores.

De modo que é bom evitar basicamente os seis alimentos frios mais apreciados à noite: frutas, verduras, legumes crus, doces, leite e derivados e alimentos gelados. Em vez disso, deve-se consumir, à noite, sempre pelo menos três horas antes de deitar-se: abóbora de casca dura e raízes (mandioca ou macaxeira, batata, inhame e cará), chás, caldos e qualquer comida que vá ao fogo, inclusive legumes.

Comida de natureza fria à noite depaupera o baço, que, energeticamente, é o órgão que levanta nosso astral, produz e tonifica o sangue, governa os músculos e clareia o raciocínio. Abóbora e raízes tonificam o baço.

Já os alimentos de natureza fria servem para equilibrar as energias tirando o excesso de calor do corpo. Com o corpo equilibrado não há deficiência de Qi, que leva à fadiga, palidez, tremores, perda de apetite e infecções.

Pacientes com deficiência de yang apresentam mãos e pés frios, astenia, letargia, fezes amolecidas e continência urinária, enquanto que a deficiência de yin é caracterizada por mucosas e língua secas, suor noturno, mãos e pés quentes e sensação de calor.

Os sintomas de excesso de yang são agitação, voz alta, rosto vermelho, distúrbios do sono e muito calor, e excesso de yin são letargia, apatia, estagnação, principalmente da vontade.

“Que seu remédio seja seu alimento, e que seu alimento seja seu remédio” – disse o pai da Medicina, Hipócrates, há mais de 2400 anos. A ciência moderna já comprovou isso. Alimentar-se com sensatez reduz o risco de doenças crônicas e amplia a vida.

RayCunha é jornalista, escritor e terapeuta em Medicina Tradicional Chinesa, residente em Brasília, trabalhou em vários jornais e criou outros. O mais relevante foi o Correio Braziliense, no qual atuou...