Diário Carioca Google News

selecao-feminina-faz-confronto-equilibrado-com-hong-kong,-mas-deixa-toquio-nas-oitavas

Equipe nacional se despediu da competição após derrota por 3 x 1 para o time asiático, que é top 5 do ranking mundial

A Seleção feminina de tênis de mesa disputou sets equilibrados diante de Hong Kong, Top 5 do ranking mundial, nas oitavas de final do torneio de equipes dos Jogos Olímpicos. Carol Kumahara venceu uma partida e as brasileiras brigaram em todos os jogos, mas acabaram superadas pelas asiáticas, mais regulares, por 3 a 1, em jogo encerrado no início da madrugada deste domingo (1.08), no Ginásio Metropolitano de Tóquio.

Com o resultado, o tênis de mesa feminino do Brasil se despediu dos Jogos de Tóquio, mas com um gosto bem menos amargo do que em 2016, quando caíram diante das fortíssimas chinesas. Desta vez, o quadro foi diferente.

Carol Kumahara teve bela participação e ganhou uma das partidas no duelo contra Hong Kong.Foto: Cheng Howe Seet/ITTF.

No primeiro duelo da noite, Carol Kumahara e Jessica Yamada começaram sofrendo com as bolas rápidas de Soo Wei Yam Minnie e Lee Ho Ching. Rapidamente elas equilibraram o confronto e brigaram até o final da primeira parcial, com boa atuação. As dificuldades aumentaram no segundo set, quando as brasileiras passaram a errar mais e ficaram com 6 x 1 contra no placar. Foram novamente buscar a desvantagem, mas não conseguiram reverter o quadro.

O terceiro set foi o que teve o maior equilíbrio no início, com Carol e Jessica chegando a liderar o placar. Após a igualdade em seis pontos, as honconguesas abriram dois de frente e o técnico Hugo Hoyama pediu tempo, mas foi insuficiente para mudar o quadro, com as asiáticas fechando em 3 a 0 (9/11, 8/11 e 9/11).

Os seis atletas titulares e os dois reservas brasileiros em Tóquio são integrantes da Bolsa Atleta, programa de patrocínio individual do Governo Federal Brasileiro. No período entre os Jogos Rio 2016 e Tóquio 2021, foram investidos R$ 10,1 milhões no Bolsa Atleta para contemplar praticantes do tênis de mesa. Os recursos propiciaram a concessão de 562 bolsas no período.

Duro desafio para Bruna

No segundo confronto, Bruna Takahashi, melhor brasileira no ranking mundial (48ª), encarou Doo Hoi Kem, a 15ª da lista. Começou na frente o primeiro set, mas permitiu a virada para uma adversária que pouco errava e fez dez pontos consecutivos.

“Foi um jogo muito bom das meninas, os quatro jogos com concentração muito boa. As jogadoras de Hong Kong são superiores, mas o jogo mais agressivo das nossas atletas fez com que as partidas fossem mais duras. Para mim, foi um dos melhores jogos de equipes que já fizemos” 

Hugo Hoyama, técnico da seleção feminina

A brasileira variou o jogo na segunda parcial e abriu 4 x 0. Apostando nos golpes mais ousados contra uma adversária regular, conseguiu manter o controle até o finalzinho, mas sofreu para fechar e acabou permitindo nova virada. O terceiro set teve o controle da honconguesa. Bruna ainda tentava reagir, mas não conseguiu impor seu jogo e foi superada, por 3 a 0 (3/11, 12/14 e 7/11).

Carol faz grande partida

A 45ª colocada no ranking, Lee Ho Ching, era o obstáculo para Carol Kumahara (144ª), que precisava vencer para manter as brasileiras vivas. E ela não se intimidou com a responsabilidade. Abriu 6 x 1 no placar, segurou a reação da asiática e teve frieza para fechar em 11 x 8.

Carol também começou melhor no segundo set. Lee voltou a equilibrar o jogo, mas a brasileira seguiu com ótimo aproveitamento nos ralis e nos saques. Assim, conseguiu vencer mais uma vez, por 11 x 9. No terceiro set, Lee mudou sua tática, fazendo com que Carol tivesse muito mais dificuldade, diminuindo a desvantagem.

A brasileira voltou a controlar a partida na quarta parcial. Abriu 5 a 3 no placar e fez com que o técnico de Hong Kong pedisse tempo. A asiática iniciou a reação e conseguiu a virada no finalzinho. O set decisivo começou extremamente equilibrado. Da metade para a frente, Carol teve grande atuação, agressiva e precisa, com trocas de bolas espetaculares, fechando em 3 a 2 (11/8, 11/9, 5/11, 9/11 e 11/6).

Na sequência, Jessica Yamada precisava repetir o grande desempenho de Carol Kumahara, contra a forte Doo Hoi Kem. No primeiro set, a honconguesa foi absoluta. A brasileira reagiu no segundo set, conseguindo impor seu jogo. Assim, conseguiu empatar o duelo em 1 x 1.

A terceira parcial começou com Jessica comandando o placar, mas a honconguesa variou seu saque, conseguiu virar e controlou a partida, panorama que não mudou no quarto set. A brasileira ainda reagiu, mas a asiática fechou em 3 a 1 (5/11, 11/9, 5/11 e 10/12), conquistando a classificação.

“Foi um jogo muito bom das meninas, os quatro jogos com concentração muito boa. As jogadoras de Hong Kong são superiores, mas o jogo mais agressivo que o normal das nossas atletas fez com que as partidas fossem mais duras. Para mim, foi um dos melhores jogos de equipes que já fizemos. Queria parabenizá-las”, disse o técnico Hugo Hoyama.

“Estou muito feliz, consegui jogar muito bem. Foi uma longa espera aqui, não é fácil o primeiro jogo e ter jogado nesse nível foi muito bom. No Pan também foi assim, o que me deu confiança. Foi desafiador, a exigência de nível era alta. Conseguimos enfrentá-las de igual para igual e isso mostra a nossa evolução”, analisou Carol Kumahara, que fez sua única participação em Tóquio.

Fonte: Confederação Brasileira de Tênis de Mesa

Redação do Diário Carioca

Equipe de jornalistas e colaboradores do jornal Diário Carioca. Profissionais de comunicação que trazem as informações mais importantes do Brasil e do Mundo