Diário Carioca Google News

Foto: Fitbit Quando entramos em uma nova década, a sorte da Fitbit parecia incerta. No ano passado, a empresa foi adquirida pelo Google por US $ 2,1 bilhões – uma medida que deixou alguns usuários antigos do Fitbit preocupados com a privacidade de seus dados. A aquisição seguiu relatórios sobre vendas decepcionantes da Versa Lite, o que foi um golpe para a Fitbit, considerando a popularidade do seu smartwatch Versa. Agora, com seu primeiro novo dispositivo desde o acordo com o Google, o Fitbit está apostando no Charge 4. Seu rastreador de fitness mais popular foi atualizado com GPS integrado, pagamentos NFC, compatibilidade com Spotify e um novo foco em minutos ativos em A indústria de wearables vem se aproximando de relógios inteligentes, mas não é de surpreender que o Fitbit esteja dobrando sua série Charge de rastreadores de fitness. Ainda existem pessoas por aí que preferem uma banda de fitness mais barata que também pode fornecer notificações de smartphone para um smartwatch mais caro que também pode acompanhar os treinos. Os rastreadores também são onde a Fitbit historicamente tem enfrentado seus rivais. Mas o Charge 3, embora sólido, era entediante – as atualizações se resumiam a uma melhor tela sensível ao toque e resistência à água. O Charge 4, no entanto, parece ter mais substância. Para iniciantes, é um rastreador de fitness de US $ 150 com GPS embutido. Para os relógios inteligentes, esse recurso é antigo, mas é notável para um rastreador mais básico, pois a maioria das bandas opta pelo GPS conectado via telefone. A diferença nos resultados pode variar de decentemente precisa a completamente errada, dependendo do fabricante. A adição de GPS embutido no Charge 4 o torna uma alternativa muito mais barata a relógios de corrida mais caros, em uma plataforma conhecida com uma comunidade ativa. Além dos 20 modos de exercício já disponíveis, o Fitbit também está adicionando sete modos específicos de GPS para atividades como caminhadas ao ar livre, corrida e caminhada. A parte em que estou mais interessado, no entanto, é a adição de mapas de calor com GPS, para que você possa ver exatamente qual parte do seu treino teve mais huffin e puffin. Esse não é um recurso exclusivo apenas do Fitbit; era algo que estava disponível no Timex Ironman GPS R300 que testei recentemente, por exemplo. No entanto, é um recurso mais avançado que talvez permita que o Fitbit possa competir com alguns relógios de corrida ou atividade ao ar livre de mais nichos (e mais caros). também usando o lançamento do Charge 4 para introduzir uma nova métrica de rastreamento, Minutos da Zona Ativa, que rastreia o tempo gasto em zonas específicas da frequência cardíaca para determinar se você progrediu nos 150 minutos de exercício moderado por semana recomendados pela American Heart Association e A organização mundial da saúde. Você ganha crédito por cada minuto de atividade moderada na zona de queima de gordura e dobra o crédito por cada minuto em zonas cardiovasculares ou de pico mais vigorosas. No passado, eu critiquei o foco da Fitbit em etapas – esse famoso objetivo de 10.000 etapas é mais sobre marketing inteligente do que pesquisa, e os benefícios de saúde associados a esse objetivo são duvidosos. É uma mudança pequena, mas importante para realmente ajudar as pessoas que querem melhorar significativamente sua saúde. Essas são as grandes atualizações, mas estão longe de serem as únicas. O Charge 4 também terá o recurso de alarme Smart Wake da Fitbit – um alarme que você acorda no horário ideal do seu ciclo de sono – sempre que sair. Além disso, a Fitbit lançou recentemente um Gráfico de Variação Estimada de Oxigênio em seu aplicativo, que finalmente utiliza o sensor Sp02 que está incluído em seus dispositivos desde o Ionic. De acordo com o comunicado de imprensa da Fitbit, todos os dispositivos Charge 4 também serão padrão com pagamentos NFC via Fitbit Pay. E, como no Charge 3, a duração da bateria permanece estimada em sete dias com uma única carga, o que é impressionante, uma vez que o GPS incorporado é um dreno de energia notório. Por fim, a Fitbit também vai HAM com seus serviços pagos. Enquanto uma assinatura Fitbit Premium normalmente custa US $ 10 por mês ou US $ 80 por ano, à luz do distanciamento social causado pelo novo coronavírus, a Fitbit agora oferece “40 novas peças de conteúdo Premium gratuitamente no aplicativo”. Também está estendendo uma avaliação gratuita de 90 dias para novos usuários, que inclui exercícios de estúdios de fitness como barre3, Daily Burn, obé fitness, Physique 57, Popsugar e Yoga Studio: Mind & Body. Também oferece uma avaliação gratuita de 90 dias do recurso Fitbit Coach, que inclui exercícios de streaming. O fato de esses testes gratuitos também coincidirem com o lançamento do Charge 4 é obviamente uma jogada de negócios inteligente. Uma coisa a observar: embora o Charge 4 adicione GPS embutido, ele não é realmente um dispositivo sem telefone, a menos que você seja o unicórnio que não gosta de se exercitar com música ou podcasts. Assim como no Versa 2, o Charge 4 oferece suporte ao Spotify, mas as listas de reprodução offline ainda não são uma opção. Em termos de design, o Fitbit está dizendo que, se não estiver quebrado, não conserte. Dito isso, as bandas perfuradas devem morrer no inferno. Imagem: FitbitThe Charge 4 está disponível para pré-encomenda on-line hoje no site da Fitbit e em varejistas selecionados. O modelo básico custa US $ 150 e vem em preto, pau-rosa e azul / preto de tempestade. Também haverá uma edição especial um pouco mais cara por US $ 170, que inclui uma faixa reflexiva de granito extra ou uma faixa de tecido preto. Antes do Encargo 4, os pagamentos NFC eram exclusivos das Edições Especiais, mas esse não é mais o caso. Teremos que testar o Encargo 4 para ver se ele é entregue, mas, no papel, parece promissor. O fato de o Fitbit estar fazendo todos os esforços, mas dobrando simultaneamente em um de seus dispositivos mais populares – especialmente após a aquisição do Google – é provavelmente um indicador de que ele precisa do Charge 4 para se sair bem. É verdade que este dispositivo e suas atualizações de software associadas provavelmente estavam em andamento antes da entrada do Google, portanto, provavelmente não é o melhor indicador de como será a era do Fitbit-Google. Mas se o Charge 4 for bom, os fãs do Fitbit podem descansar um pouco mais fácil, pois o Google não atualizou completamente seus mundos, mesmo que a empresa agora possua seus dados. : O título mudou, pois pode ter sugerido anteriormente que a aquisição do Google-Fitbit foi finalizada, e essa não era nossa intenção. Atualmente, está pendente de aprovação regulatória.

Newsletter

Mais Noticias

Flávia Garrafa volta em cartaz com o solo Fale Mais Sobre Isso

A comédia discute a capacidade e o desejo de mudança das pessoas que procuram a psicoterapia. Em cena, uma psicóloga trabalha as questões de quatro de seus pacientes que acabam por decifrar suas próprias emoções. Essa nova temporada é uma homenagem à Kuka Anunciatto, assistente de direção do espetáculo, que faleceu em maio de 2021

Surfe: Cerveja Enseada cria evento de ondas grandes

O Big Wall Enseada é um desafio criado em parceria com a Associação de Surfe de Saquarema para promover o desenvolvimento do esporte na região durante o inverno e a primavera. Por ser um evento virtual, está afastada qualquer possibilidade de aglomeração. O julgamento da performance dos atletas é feito através de registro em vídeo

Redação do Diário Carioca

Equipe de jornalistas e colaboradores do jornal Diário Carioca. Profissionais de comunicação que trazem as informações mais importantes do Brasil e do Mundo